Presidente do Ibama pede exoneração após contrato de R$ 28 milhões ser questionado


Presidente do Ibama pede exoneração após contrato de R$ 28 milhões ser questionado
Foto: José Cruz / Agência Brasil

A presidente do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Suely Araújo, pediu exoneração do cargo nesta segunda-feira (7). A saída acontece um dia após um contrato de R$ 28 milhões ser questionado pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles e pelo presidente Jair Bolsonaro.

No pedido de demissão, Suely alegou que a indicação de Eduardo Bim como próximo presidente do Ibama "já foi amplamente divulgada na imprensa e internamente na Instituição ainda em 2018, antes mesmo do início do novo Governo". Ela assumiu o cargo ainda durante o mandato do ex-presidente Michel Temer.

Neste domingo (6), Salles publicou uma mensagem no Twitter criticando uma licitação no valor de R$ 28,7 milhões para o aluguel de 393 caminhonetes adaptadas para fiscalização e atendimento a emergências ambientais. Segundo ele, o valor do contrato é muito elevado. Bolsonaro compartilhou a publicação na rede social.