Otto avalia que haverá ‘muita marcação à Bahia’ no governo Bolsonaro


Otto avalia que haverá ‘muita marcação à Bahia’ no governo Bolsonaro
Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Presidente do PSD na Bahia, o senador Otto Alencar acredita que o estado terá quatro anos difíceis pela frente durante o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). Segundo ele, este foi o tema do encontro que teve, na semana passada, com o governador reeleito Rui Costa (PT).

“Nós tivemos quatro anos muito duros com Dilma [Rousseff] batendo a cabeça até ter o mandato cassado, e depois pegamos Michel Temer. No governo Temer, foram quatro anos que a Bahia praticamente teve que trabalhar com poucos recursos federais. E vamos ter, pela frente, quatro anos de muita marcação à Bahia, ao Nordeste e ao Norte”, declarou, em entrevista ao Bahia Notícias.

Otto avalia que a composição ministerial do governo Bolsonaro é uma prova de que os estados nordestinos e nortistas vão sofrer. Pela primeira vez na República, não haverá nenhum integrante das regiões na equipe presidencial. 

“Ele [Bolsonaro] fez um risco no Brasil. Ele dividiu o Brasil. Só colocou ministros do sul de Minas para baixo. Se for para se avaliar pela composição ministerial, os estados do Nordeste e do Norte vão sofrer muitas dificuldades, sem nenhuma representação. Espero que não. Que isso seja apenas uma composição ministerial, do ponto de vista técnico e não do ponto de vista regional”, pontuou.

Otto assegurou que não tratou com Rui sobre o novo secretariado. “Não se pode tratar de um assunto desta natureza no Natal e no Réveillon. O momento é inapropriado”, afirmou.

por Rodrigo Daniel Silva/BN