Caberá aos estados decisão sobre aulas à distância no ensino médio


Caberá aos estados decisão sobre aulas à distância no ensino médio
Foto: Reprodução / Pro Web See

A oferta de ensino a distância nas escolas de ensino médio vai depender de regulamentação em cada um dos estados, de acordo com o ministro da Educação, Rossieli Soares, que homologou nesta terça-feira (20), em Brasília, as novas Diretrizes Curriculares Nacionais da etapa de ensino. As novas regras permitem que escolas ofertem à distância até 20% do ensino médio diurno, até 30% do ensino noturno e até 80% da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

“O que foi aprovado pelo CNE (Conselho Nacional de Educação) é que a educação a distância é opcional. A rede fará ou não a oferta de acordo com seu desejo, a sua conveniência e o seu controle de qualidade”, garantiu Soares.

As diretrizes vigentes foram revistas pelo CNE para se adequar ao Novo Ensino Médio, aprovado em 2017. Pela nova lei, os estudantes passarão por uma formação comum a todo o país, definida pela chamada Base Nacional Comum Curricular, que ainda está sendo discutida, e por uma formação específica, que poderá ser em linguagens, matemática, ciências da natureza, ciências humanas ou ensino técnico.