Gleisi diz que Lula será candidato com ou sem perseguição

 Rafael Ribeiro

Rafael Ribeiro / Brasil 247

Demonstrando ceticismo diante da soltura imediata do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a senadora Gleisi Hoffmann afirmou que a situação judicial do petista chegou a um "momento muito difícil"; ela declarou que o Supremo Tribunal Federal (STF) pode "restabelecer" a justiça para Lula, mas destacou que sua esperança está "no povo brasileiro"


247 - Demonstrando ceticismo diante da soltura imediata do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a senadora Gleisi Hoffmann afirmou que a situação judicial do petista chegou a um "momento muito difícil". Ela declarou que o Supremo Tribunal Federal (STF) pode "restabelecer" a justiça para Lula, mas destacou que sua esperança está "no povo brasileiro".

"Antes das falas de Gleisi, o presidente do tribunal em Porto Alegre, Thompson Flores, endossou decisão suspendendo um habeas corpus que havia sido dado pelo plantonista da Corte, desembargador Rogério Favreto, em favor do ex-presidente Lula. Com a decisão de Thompson Flores, o petista fica na cadeia. A presidente do PT classificou a decisão do presidente do TRF-4 como "absurda" e "vergonhosa". Segundo ela, nenhum desembargador poderia se manifestar após a decisão do plantonista, pois não havia nenhum recurso questionando a primeira manifestação pela liberdade de Lula.

Além disso, Gleisi atacou a Polícia Federal afirmando que o órgão ficou "enrolando" e agindo "em marola" ao não liberar o petista da cadeia enquanto aguardava uma decisão administrativa. Ela disse que o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, tem "muito o que explicar" sobre a não soltura de Lula. A PF é subordinada à Pasta comandada por Jungmann no governo federal."