Enquanto o povo para o Brasil, Gilmar faz jantar de gala para Temer

O jornalista Ricardo Kotscho criticou nesta quinta-feira, 16, a disparidade entre as realidades existentes no Brasil.


Nessa quarta-feira, 15, dia em que mais de um milhão de pessoas foram às ruas em cidades de todos os estados, protestar contra a reforma da Previdência, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, que vai julgar o pedido de cassação de Michel Temer, recebia Temer e aliados para um jantar de gala, em homenagem ao aniversariante José Serra, um dos senadores do PSDB que estão na segunda lista de Janot.

"Foi um dia comum no Brasil de 2017, com novos vazamentos da Lista de Janot: o poder de um lado, comemorando, e o povo do lado oposto, protestando, cada vez mais distantes um do outro. Em algum momento, estes dois mundos que habitam o mesmo país vão ter que se encontrar frente a frente", diz Kotscho. 

Segundo o jornalista, para completar o quadro de horrores que vive o Brasil, pode-se incluir fotos de jovens fazendo selfies e festejando o goleiro Bruno. "É um perfeito retrato dos tempos que vivemos, quando o mesmo Judiciário emponderado que manda soltar o assassino vai julgar os comensais do jantar brasiliense investigados pela Lava Jato", afirma. 

Sobre a manifestação que reuniu cerca de 300 mil pessoas na Avenida Paulista, Ricardo Kotscho afirmou que ficou "surpreendido" com a dimensão dos protestos. "Há tempos não via pessoas tão animadas em São Paulo e, pelo jeito, no resto do país, embora desta vez a cobertura das manifestações tenha sido bastante tímida, diria quase envergonhada", afirma. 

Leia na íntegra a análise no Balaio do Kotscho.  

Brasil 247