Temer começa a discutir nomes para assumir relatoria da Lava Jato no STF

Alexandre de Moraes é cotado para o cargo | Foto: Reprodução / Cristal Vox
Temer começa a discutir nomes para assumir relatoria da Lava Jato no STF
Diante das discussões acerca da sucessão do ministro Teori Zavascki na relatoria da Operação Lava Jato no Superior Tribunal Federal (STF), o presidente Michel Temer já começou a avaliar possíveis nomes para assumir o cargo. Na manhã desta sexta-feira (20), Temer recebeu o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, e a ministra da Advocacia-Geral da União, Gracie Mendonça. Cotados para o cargo, os dois foram atendidos em diferentes audiências. De acordo com a Folha de S. Paulo, o presidente também discutiu o assunto com a ex-ministra do STF, Ellen Gracie. Amiga de Temer, Ellen chegou a ser cotada para assumir o Ministério da Justiça ou o Ministério da Transparência, mas recusou ambos convites. À Folha, ela disse que a própria Corte vai encontrar a "fórmula mais adequada" para definir quem ficará com a relatoria dos casos da Operação Lava Jato. "O regimento interno tem as suas normas próprias para substituições nesses casos, que já ocorreram antes", explicou a ex-ministra. Segundo a publicação, em conversas reservadas, Temer demonstrou interesse em indicar um nome de perfil "técnico" e "apartidário". Assim, o presidente espera não despertar desconfianças de que o Palácio do Planalto tenha a pretensão de intervir nos rumos da investigação. Outro nome pensado pelo governo é o do ex-procurador do Ministério Público de São Paulo, Luiz Antonio Marrey. Mas a decisão pode não ser do presidente da República. A tendência é de que a presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, redistribua os processos da Lava Jato em sorteio feito na 2ª Turma, da qual Zavascki fazia parte. Os ministros na categoria são Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Dias Toffoli e Celso de Mello.