Sem Geddel, Temer assume articulação política para aprovar PEC do teto dos gastos
Sem Geddel, Temer assume articulação política para aprovar PEC do teto dos gastos
Foto: Beto Barata / PR

Após o pedido de demissão do ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, o presidente Michel Temer vai assumir a função de articulador político com o Congresso Nacional. Já nesta terça-feira (29), está marcada no Senado a votação proposta de emenda constitucional que limita de gastos da União pelos próximos 20 anos. Na Câmara dos Deputados, deve ser apreciado o projeto de medidas contra a corrupção. De acordo com o jornal O Globo, Temer marcou uma reunião com o presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL) e outros líderes partidários para esta segunda (28). Ainda não há definição sobre quem vai substituir Geddel na Secretaria de Governo. Entre os cotados estão o deputado federal baiano Benito Gama (PTB-BA) e o líder do PSD na Câmara, Rogério Rosso (DF)

Benito Gama e Rogério Rosso são cotados para assumir vaga de Geddel, diz coluna Gama 

Benito Gama e Rogério Rosso são cotados para assumir vaga de Geddel, diz coluna
(à esq.) e Rosso (à dir.) estão no páreo | Foto: Reprodução / BN

O substituto do ex-ministro da Secretaria de Governo Geddel Vieira Lima, que pediu demissão do cargo nesta sexta-feira (25), pode ser um dos candidatos à presidência da Câmara. De acordo com a Coluna do Estadão, do jornal O Estado de S. Paulo, são cotados para o posto o deputado federal baiano Benito Gama (PTB-BA) e o líder do PSD na Câmara, Rogério Rosso (DF). Gama é do mesmo partido de Jovair Arantes (GO), outro nome do Centrão na disputa contra a reeleição do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ). Ainda segundo a publicação, a escolha de um dos candidatos do bloco seria uma estratégia de Temer para manter Maia na presidência. “O governo perderia se resolvesse se meter na eleição da Câmara”, diz um interlocutor do Planalto. O nome, entretanto, só deve ser anunciado no início da próxima semana.