Empresa responsável pelo La Vue omitiu contrato de Geddel em defesa junto ao Iphan

Empresa responsável pelo La Vue omitiu contrato de Geddel em defesa junto ao Iphan
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

A Porto Ladeira da Barra Empreendimento, empresa responsável pelo La Vue, na Barra, omitiu o contrato de promessa de compra do apartamento 2301, pertencente a Geddel Vieira Lima. Em sua defesa junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), apresentada em 24 de maio de 2016, a empresa não incluiu entre os dez contratos aquele referente ao ex-ministro da Secretaria de Governo. De acordo com a Folha, na época Geddel já havia assinado uma promessa de compra e venda, para garantir a unidade. A relação dos contratos dos futuros moradores do La Vue consta no recurso que contesta a decisão do Iphan de suspender a obra, de maio deste ano, ainda na gestão Dilma Rousseff (PT). Os advogados do condomínio alegaram que a decisão do Iphan ia contra o direito adquirido pelos futuros moradores, que haviam assinado o contrato entre dezembro de 2014 e 2015. A defesa do La Vue chegou a argumentar que o empreendimento está sendo construído no regime de "construção por administração", quando os compradores bancam o custo integral da obra. Ainda segundo a Folha, na ata de constituição do condomínio, de setembro de 2015, também não consta o nome do ex-ministro. O apartamento do 23º andar, que Geddel diz ter comprado, está em nome da empresa responsável pelo edifício. Questionado sobre o assunto, o peemedebista disse que não se pronunciaria mais e que fará sua defesa no Conselho de Ética da Presidência da República.