Delatores alegam não ter conhecimento sobre vantagens indevidas para Lula
Delatores alegam não ter conhecimento sobre vantagens indevidas para Lula
Foto: Ricardo Stuckert / Instituto Lula

Três delatores da Operação Lava Jato alegaram não ter conhecimento sobre supostas vantagens indevidas que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teria recebido da OAS. O doleiro Alberto Youssef e os lobistas Milton Pascowitch e Fernando Soares, conhecido como Fernando Baiano, prestaram depoimento nesta sexta-feira (25) no processo movido pelo Ministério Público Federal (MPF) contra Lula. A ação aponta que ele teria recebido R$ 3,7 milhões em propina da empreiteira. Durante as oitivas, a defesa do ex-presidente voltou a questionar a atuação dos representantes do MPF e do juiz federal Sérgio Moro. A principal alegação era de que a promotoria estaria formulando perguntas que fugiam do escopo da denúncia. As intervenções foram indeferidas por Moro, que afirmou haver um contexto a ser esclarecido e autorizou a sequência da oitiva. Mais audiências com testemunhas de acusação de Lula estão marcadas até o dia 16 de dezembro. Pelo menos mais 15 pessoas serão ouvidas, incluindo o pecuarista José Carlos Bumlai.