Número de mortes por erros em hospitais pode ser maior do que por câncer no Brasil
Número de mortes por erros em hospitais pode ser maior do que por câncer no Brasil
Foto: Inepe
Erros de atendimento durante a internação pode ter levado até 434 mil pessoas à morte em 2015, segundo um estudo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS). Isso significa que, a cada três minutos, dois brasileiros podem ter morrido por erros em hospitais. A equipe de pesquisadores avaliou resultados obtidos em uma pesquisa de grupo para o número de internações em todo o país, nos sistemas público e privado. De acordo com a revista Exame, os pesquisadores concluíram que o número de óbitos por problemas hospitalares seria de 104 mil por ano se todos os hospitais do Brasil tivessem um elevado grau de qualidade e acreditação internacional. Nos Estados Unidos, erros de atendimento ficam atrás das doenças cardiovasculares e câncer em número de mortes. Considerando o número apontado pela pesquisa, o fator seria o primeiro ou segundo que mais mata no Brasil. "A culpa por esses eventos adversos raramente é de uma só pessoa. A origem, geralmente, está na organização do trabalho", afirmou Renato Couto, professor da Faculdade de Medicina da UFMG e um dos autores do estudo. Os pesquisadores estimam que 60% dessas falhas poderiam ser prevenidas.