Defensores Públicos Federais entram em greve após sanção presidencial
Defensores Públicos Federais entram em greve após sanção presidencial
Foto: Divulgação
Os defensores públicos federais entraram em greve nesta terça-feira (27). A Associação Nacional dos Defensores Públicos Federais (Anadef) comunicou a decisão que teve como origem o veto presidencial ao Projeto de Lei da Câmara 32/2016. O projeto fala sobre o reajuste salarial da categoria. A partir de agora, a cateforia apenas atenderá demandas urgentes da Defensoria Pública da União (DPU), que envolvem restrição à liberdade de locomoção, perecimento de direito e risco à saúde e à vida. "Ao vetar o projeto, o Poder Executivo Federal demonstrou seu absoluto desprezo para com a estruturação do órgão capaz de dar voz aos miseráveis" afirmou a Associação em nota.A Anadef ressalta qaue 143 milhões de brasileiros só tem a defensoria como acesso a seus direitos e que garantir estruturação remunatória à categoria preserva a DPU de um sucateamento. A Associação divulgou, ainda, que busca poio parlamentar para derrubar o voto presidencial. "Mas os defensores públicos federais não vão arrefecer. Mesmo tendo sido a única excluída de um tratamento remuneratório compatível com a tamanha responsabilidade da função exercida, a Carreira continuará a luta por Justiça, pela qual trabalha diariamente. A paralisação da DPU permanecerá até a apreciação do veto pelo Congresso Nacional", finalizou a Anadef.