Programas de Lula e Dilma financiaram 77% da delegação olímpica brasileira


O programa Bolsa Atleta criado há 11 anos pelo ex-presidente Lula e levado à frente pela presidenta eleita Dilma Rousseff, junto com o programa Segundo Tempo, são os responsáveis por financiar 77% da delegação olímpica brasileira, inclusive, atletas medalhistas como os baianos Isaquias Queiroz e Erlan Silva, medalha de prata na canoagem em dupla na Rio 2016.
Segundo os próprios medalhistas comentaram em entrevista à Rede Globo, o programa Segundo Tempo, criado por Lula em 2003, com apenas quatros meses à frente do Governo federal. 
Indagados pela apresentadora Renata Vasconcelos no Jornal Nacional, os Isaquias, nascido em Ubaitaba, e Erlan, que é natural de Ubatã, responderam que começaram as suas carreiras de atletas, agora medalhistas olímpicos, com a ajuda do programa criado por Lula. 
"A gente começou com um programa do governo federal, o Segundo Tempo, que tinha vôlei, futebol e canoagem. Como eu gostava de água, fui para a canoagem", disse Erlon. "Mesma coisa, foi no Segundo Tempo, um programa do governo federal e do Ministério do Esporte", disse Isaquias, o maior medalhista brasileiro em todos os tempos.
Em 2003, quando o Segundo Tempo começou, Erlon tinha apenas 12 anos. Isaquias, por sua vez, tinha apenas 9. Nenhum dois dois poderia imaginar que chegaria tão longe.
Já o Bolsa atleta, criado em 2005, já financiou 17 mil atletas, divididos em seis categorias: atleta de base, estudantil, nacional, internacional, olímpico/paraolímpico e pódio. 
A bolsa varia de R$ 370 a R$ 15 mil por mês e, atualmente, contempla 6.200 atletas. Informações do Brasil 247 e Plantão Brasil