Defesa de Dilma Rousseff entrega alegações finais na comissão do impeachment

Foto: Lula Marques/ AGPT
Defesa de Dilma Rousseff entrega alegações finais na comissão do impeachment
O advogado de defesa da presidente afastada Dilma Rousseff, o ex-ministro José Eduardo Cardozo, entregou na noite desta quinta-feira (28) as alegações finais da defesa à comissão do impeachment no Senado. Com a apresentação do documento, tem início o prazo para o relator do processo, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), apresentar seu parecer. Ele deverá ser concluído até a próxima segunda-feira (1º). No dia seguinte, o colegiado vai decidir se Dilma vai ou não a julgamento final. Entre as argumentações finais, Cardozo incluiu o pedido do Ministério Público Federal em Brasília (MPF-DF) à Justiça Federal para arquivar as investigações sobre as "pedaladas fiscais". No entendimento do procurador Ivan Marx, os atrasos nos pagamentos a bancos públicos não representam operação de crédito, e, portanto, não configuram crime de responsabilidade. “Vários fatos surgiram ao longo desse período. Um deles muito importante foi essa proposta de arquivamento que Ministério Público Federal fez. O procurador afirmou que efetivamente não é operação de crédito. É a tese que a gente tem defendido”, afirmou Cardozo.