Cotados para presidir a Câmara têm pendências judiciais
:
Dos seis candidatos favoritos à sucessão do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quatro enfrentam algum tipo de processo judicial, um foi citado na Lava Jato e o sexto não responde mais a ações porque os crimes dos quais era acusado prescreveram, segundo levantamento do “Estado”; entre eles, os deputados Rogério Rosso (PSD-DF), Beto Mansur (PRB-SP) e Rodrigo Maia (DEM-RJ)


Brasil 247 - Dos seis candidatos favoritos à sucessão do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), quatro enfrentam algum tipo de processo judicial, um foi citado na Lava Jato e o sexto não responde mais a ações porque os crimes dos quais era acusado prescreveram, segundo levantamento do “Estado”.

Entre eles, figura o candidato do “Centrão”, o deputado Rogério Rosso (PSD-DF), investigado por peculato e indiciado por corrupção.
Beto Mansur (PRB-SP), primeiro-secretário da Câmara, é o que tem a maior lista de pendências judiciais entre os 16 pesquisados. Ele já foi condenado e responde a um processo por exploração de trabalho análogo à escravidão em uma fazenda no interior de Goiás.

O deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ) também foi citado na Lava Jato por Léo Pinheiro, da empreiteira OAS, e é alvo de um pedido de inquérito da Procuradoria-Geral da República (leia aqui).