Aeroporto de Vitória da Conquista: entenda o que motiva fechamento para pousos e delecolagens

Foto: BLOG DO ANDERSON
Blog do Anderson

Os conquistenses estão acostumados com as notícias: “Neblina fecha o aeroporto”, “Aeroporto Pedro Otacílio Figueiredo amanhece fechado para pousos e decolagens”, “Fechamento do aeroporto de Vitória da Conquista causa atrasos em voos”. Geralmente, acontece durante o inverno e quem vivencia a situação sabe o quanto isso pode atrapalhar as tão planejadas viagens. >>>>>>

Localizado na zona urbana de Vitória da Conquista, a uma altitude de 914 metros, o aeroporto de SBQV – como é conhecido pelos aeronautas -, dispõe de voos regulares para Salvador, Belo Horizonte, Brasília e São Paulo operados pelas empresas aéreas Passaredo e Azul, por meio da aeronave de modelo ATR-72.

O aeroporto dispõe de auxílios a pousos e decolagens sob condições de voos por instrumentos (NDB e RNAV), além de uma estação meteorológica que emite boletins meteorológicos de hora em hora. Porém, esses auxílios não são precisos, obrigando o piloto a iniciar o procedimento de arremetida e de deslocamento para outro aeroporto, caso não aviste a pista a aproximadamente 200 metros de altura e visibilidade inferior a 3100 metros.

Isso acontece devido aos fenômenos meteorológicos, em especial, os que restringem a visibilidade do piloto, como chuva e nevoeiro. Existem parâmetros mínimos de segurança estabelecidos pelo Comando da Aeronáutica para cada aeroporto. Para o Aeroporto Pedro Otacílio Figueiredo, os padrões mínimos de segurança para o procedimento RNAV da cabeceira 33 da pista de pouso (procedimento de pouso em condições de tempo adversas), o teto é de aproximadamente 100 metros de altura e a visibilidade horizontal de 1800 metros. Já pela pista cabeceira 15 da pista de pouso, os mínimos operacionais são maiores, com teto de aproximadamente 200 metros e visibilidade horizontal de 3100 metros.

Quem determina o fechamento de um aeroporto?

O Aeroporto Pedro Otacílio Figueiredo dispõe de uma estação meteorológica de última geração instalada próxima à pista de pouso. Ela determina, através de seus equipamentos, a altura das nuvens, direção e velocidade do vento, visibilidade horizontal, umidade do ar, pressão atmosférica e ponto de orvalho. Quem opera o equipamento é a Rádio Conquista (estação prestadora de serviços de tráfego aéreo de Vitória da Conquista).

Quando a estação meteorológica apresenta os dados abaixo dos mínimos estabelecidos pela segurança operacional, a Rádio Conquista informa que o aeroporto encontra-se “abaixo dos mínimos operacionais”, e, neste caso, fica a critério do piloto se deve prosseguir o procedimento de pouso ou decolagem. Os pilotos, por sua vez, seguem os padrões de segurança adotados pelas companhias aéreas e ponderam que, se o aeroporto está operando abaixo dos mínimos operacionais, não devem efetuar o procedimento.

Ou seja, nem a administradora aeroportuária nem estação prestadora de serviços de tráfego aéreo são responsáveis pelo fechamento do aeroporto. O que impede o funcionamento normal dos voos é um procedimento que preza pela segurança de passageiros e funcionários e que está ligada às condições climáticas da nossa região.

CRM Flight School – Escolas de Aviação em Vitória da Conquista-BA