segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Cândido Sales: Inaugurado comitê dos candidatos Antonio Brito e Marcelo Nilo
por Dárcio Alves



Foi realizado nesta segunda-feira,01/09 a inauguração do Comitê Comitê Central em prol das candidaturas dos deputados apoiados pelo prefeito Helinho e pelo vice-prefeito Nei  ANTONIO BRITO DEPUTADO FEDERAL Nº 1410 e MARCELO NILO DEPUTADO ESTADUAL Nº 12333, o evento contou com muitos munícipes da sede e da zona rural de Cândido Sales, o comitê fica localizado na Avenida Rio Branco, no centro da cidade.


Marina e Dilma se enfrentam hoje em debate

Encontro é o primeiro após pesquisas que indicam empate técnico entre as duas candidatas

As candidatas à Presidência Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB) vão se confrontar nesta segunda-feira, 1º de setembro, pela primeira vez após a pesquisa Datafolha que mostrou ambas empatadas com 34% das intenções de voto no primeiro turno. Juntamente com Aécio Neves (PSDB), que apareceu com 15% no levantamento, as presidenciáveis vão participar, às 17h45, de debate promovido pela Folha de S. Paulo, UOL, SBT e Jovem Pan, nos estúdios da emissora de televisão. 

Os candidatos já estiverem frente a frente no debate realizado pela TV Bandeirantes, na última terça-feira (26). Naquele dia, porém, a pesquisa mais recente era do Ibope e apontava Dilma com 34%, Marina com 29% e Aécio com 19% das intenções de voto no primeiro turno. 

O evento, que será mediado pelo jornalista Carlos Nascimento, vai ser dividido em quatro blocos e terá duração total de 1h40 minutos. O primeiro bloco terá perguntas livres entre os candidatos, com réplicas e tréplicas. A segunda parte envolverá perguntas de jornalistas dos veículos que promovem o debate, que escolherão um candidato para responder e outro para comentar. O terceiro bloco terá o mesmo formato do primeiro e o quarto será de considerações finais dos presidenciáveis.

Também participarão do debate os candidatos Pastor Everaldo (PSC), Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSOL) e Levy Fidelix (PRTB), cujos partidos têm representação na Câmara dos Deputados.
Deputados inauguram comitê de Salvador convocando a militância a ir pras ruas

DSC_0728

O clima de otimismo e confiança na vitória tomou conta dos participantes do lançamento da campanha e inauguração do comitê metropolitano dos deputados Waldenor Pereira (federal) e Zé Raimundo, na manhã deste domingo (31), em Salvador.

Os deputados conclamaram a todos para levar a campanha para as ruas com a garra e determinação que a militância demonstrou para eleger Lula presidente por duas vezes, Dilma, que agora segue para a reeleição, e, na Bahia, com Jaques Wagner, que venceu no primeiro turno. “Agora é Rui para continuar mudando a Bahia”, foi a palavra de ordem do evento, animado pelos jingles dos candidatos e coloridos pelas peças de campanha.

DSC_0685

Na Mesa, o subsecretário estadual de Educação, Aderbal de Castro, Roberta Fagundes, representante da Governadoria, Pery Falcon, ex-presidente do PT  e da CUT estadual e Wenceslau Ramos (Lau), ex vice-prefeito de Vera Cruz.

Zé Raimundo agradeceu o apoio dos presentes, falou do trabalho conjunto com Waldenor junto aos governos federal e estadual, do ritmo acelerado com que levam a campanha ao interior do estado. “A política é um instrumento de solidariedade. Cada voto que a gente recebe é um voto de esperança, de sonho, que a gente tem a responsabilidade de lutar. Transformar o Brasil, a Bahia e ter um país mais justo, como Lula começou e Dilma dá continuidade”.

DSC_0711

Waldenor saudou a todos dizendo que a campanha eleitoral é um momento de grande festa da democracia brasileira. Disse que apesar de parte da mídia tentar desqualificar a política, não há solução fora da política. Chamou atenção para o fato de que ele e Zé Raimundo vão completar em fevereiro próximo 35 anos de PT, de dedicação ao partido e ao exercício da boa política.  Criticou a avalanche financista que tomou conta da política brasileira: “Hoje se compra e se paga para hastear a bandeira de um candidato, disponibilizar fachadas e distribuir material. As nossas candidaturas representam um ato de resistência a essa prática”, afirmou , renovando o compromisso de continuar exercendo a política com honestidade, transparência compromisso social e ética.

DSC_0686

O subsecretário Aderbal Castro avaliou que houve um salto qualitativo na política, com as campanhas de Waldenor e Zé Raimundo e dos candidatos majoritários Dilma e de Rui. “Vamos pegar gás e lavar a campanha para as ruas pela eleição da nossa presidente, nosso governador”, convidou. Roberta Fagundes, educadora e ex-aluna de Waldenor e Zé Raimundo na UESB, emocionou os candidatos ao lembrar da seriedade e compromisso com que eles levaram a vida acadêmica e assim também o fazem na política. “Eles nos fazem acreditar que a política vale a pena. E que bom que são baianos e são nossos candidatos”, exaltou.

Lau declarou que há 32 anos na política, jamais encontrou deputados com a qualidade e seriedade “desses sertanejos arretados” que são Waldenor e Zé Raimundo. Segundo ele, a ilha de Vera Cruz jamais experimentou tantas mudanças como nos últimos anos. Pery Falcon convocou a todos para ajudar a eleger “esses dois companheiros que tem exercido corretamente a política. Com eles temos condições de continuar  na política de forma decente”.
PMDB já acena para candidata do PSB
PMDB já acena para candidata do PSB
Foto: Divulgação
As chances efetivas de vitória de Marina Silva na eleição presidencial já levam a ala do PMDB que apoia a candidatura do senador Aécio Neves (PSDB) a dar como certa a adesão da legenda a um eventual governo seu. A avaliação desse grupo é a de que as chances de recuperação do tucano são difíceis e a perspectiva de poder hoje está com Marina. Isso faz com que a histórica divisão do PMDB ganhe novos contornos. Se antes da campanha o debate era levar ou não o partido a apoiar a reeleição de Dilma Rousseff, agora ele começa a se dar entre compor ou não com Marina e o momento em que essa sinalização deve ser feita. A cúpula peemedebista, responsável pelo apoio pró-Dilma e que tem em Michel Temer, Renan Calheiros e José Sarney seus expoentes, quer colocar a máquina do partido para derrotar Marina no 2º turno. Em caso de vitória de Marina, esse grupo fala em dar os tradicionais 100 primeiros dias de trégua ao seu governo para, nesse período, aguardar os sinais da ex-ministra. Prevê, porém, uma relação hostil. Justamente por onde a outra ala planeja crescer. Geddel Vieira Lima, candidato ao Senado pela Bahia, tem interesse em liderar esse movimento. Os aecistas do PMDB, espalhados por estados como Bahia, Ceará, Paraíba, Rio Grande do Sul e Rio de Janeiro, prontos para deflagrar esse processo, em transfiguração para neo-marineiros, querem começar a emitir os sinais da adesão ao fechar das urnas do primeiro turno. "Marina já sinalizou que abrirá o diálogo com os políticos. Temos plenas condições de dar sustentabilidade e governabilidade a ela", disse o vice-líder da bancada da Câmara, Danilo Forte (CE). 

Foto: José Cruz/Agência Brasil

Até mesmo peemedebistas egressos de Estados que apoiam Dilma avaliam que o PMDB estará com Marina se ela vencer. "O PMDB é um partido pragmático. Não teria problemas em se reposicionar e integrar a base de Marina", disse Saraiva Felipe (MG), ex-ministro da Saúde do governo Lula. Além de derrotar Dilma, essa ala do PMDB pretende aproveitar o embalo para contestar Temer no comando da sigla. Afinal, é ele o maior avalista do acordo com o PT. Assim, a eleição de Marina resultaria em um reposicionamento interno de forças políticas na legenda. Jarbas Vasconcelos (PE) e Pedro Simon (RS) seriam os interlocutores naturais, uma vez que próximos a Marina. Mas o problema é que eles não têm força interna para, sozinhos, conduzirem o partido rumo a ela. Uma aposta é que os governadores eleitos pelo partido possam fazer essa intermediação, uma vez que há uma dependência financeira grande dos Estados em relação à União, o que torna a aproximação necessária. Nomes como os senadores Eduardo Braga (AM) e Eunício Oliveira (CE) e o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (RN), que lideram as pesquisas eleitorais em seus Estados, são algumas opções. Entretanto, por motivos óbvios, a relação também terá necessariamente de passar pelo Congresso Nacional, onde o cenário hoje colocado para comandar as duas Casas é de dois peemedebistas conhecidos por jogar duro com o Palácio do Planalto: o senador Renan Calheiros (AL) e o líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ). Uma vez eleitos, o jogo terá de passar por eles. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Aécio joga futebol com ex-atletas e promete incentivo ao esporte

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, disse ontem (31) que o esporte brasileiro precisa viver uma nova fase de profissionalização e incentivo. Ele participou de um jogo de futebol com ex-atletas e artistas na zona oeste do Rio de Janeiro. “Estamos falando de futuro, de um calendário para o futebol brasileiro mais racional, da profissionalização dos nossos clubes, que é essencial para que tenhamos um futebol de melhor nível, mas falando principalmente do esporte, não só do futebol, mas do esporte como instrumento de inclusão social. Nós sabemos o bem que o esporte faz para a saúde, claro, em primeiro lugar, mas também do ponto de vista social”. Sobre a economia do país, o candidato disse que o Brasil passa por um quadro de recessão técnica, que pode, segundo ele, diminuir a geração de empregos. “Não existe emprego, sobretudo emprego de boa qualidade, quando não existe crescimento e o crescimento deixou de acontecer na economia brasileira. Com isso, as próprias negociações salariais deixarão de ser feitas em prejuízo do trabalhador. O Brasil precisa rapidamente encerrar esse ciclo de governo para iniciar outro, de retomada do crescimento baseado na credibilidade e na competência daqueles que vão assumir. O Brasil não comporta mais improvisos”, acrescentou Aécio. Para o candidato tucano, falta coerência ao programa apresentado na sexta-feira (29) pelo PSB, da candidata Marina Silva. “Não é para ofender, eu apenas encontrei no programa do PSB a defesa das mesmas posições que nós defendemos historicamente, do ponto de vista da macroeconomia, da transformação do Bolsa Família, por exemplo, em programa de Estado, da meritocracia no setor público. Lamento apenas que no momento em que implantamos essas medidas [quando foi governador de Minas] nenhum deles estava do nosso lado para ajudar”. Aécio reiterou que o PSDB tem um projeto para o Brasil, a ser apresentado nos próximos dias como plano de governo, que vai permitir a previsibilidade das ações, com uma política fiscal transparente e com os “melhores e mais experientes brasileiros para conduzir a economia”, e “permitir que o Brasil retome o crescimento”.
Akemi Nitahara, Agência Brasil

Mendes acredita que a eleição na Bahia só será decidida no 2º turno

Foto: Divulgação

Marcos Mendes, candidato ao Governo do Estado pelo PSOL
Crítico feroz das gestões e dos adversários do DEM e do PT, Marcos Mendes, postulante ao Palácio de Ondina, acredita que a campanha poderá ter reviravolta, pois a população ainda não conhece as reais alternativas de poder no estado. O candidato do PSOL é contrário à forma como as pesquisas de intenção de voto são feitas e defende uma mudança no modo de condução das políticas públicas. Mendes diz ainda que não acredita que Marina Silva (PSB) seja o viés de novidade da política e aponta Luciana Genro (PSOL) como a solução daquilo que classificou de “velha política brasileira”.
Tribuna da Bahia - Como avalia a campanha até agora? Há favoritos na disputa pelo governo?
Marcos Mendes - Eu estive em uma caminhada no extremo norte da Bahia e queria entender como esses institutos estão fazendo as pesquisas de campanhas eleitorais. Tanto em Juazeiro, como Campo Formoso, Senhor do Bonfim, a gente vê que existe um número grande de pessoas desencantadas com a política e o que tenho visto é que o povo não quer nem o passado, representado por Paulo Souto (DEM), e nem o presente como está representado pelo PT e por Rui. Muitas pessoas estão com a ideia de voto nulo e não votar, não saber o que vai fazer… Depois do debate da Band Bahia, as pessoas começaram a declarar voto em nós. Queria, inclusive, fazer uma crítica ao sistema de comunicação do nosso estado, pois muita gente no interior não tem acesso à programação estadual das afiliadas de tevê, pois elas não chegam, não tem irradiação de sinal, acho isso um absurdo. A população ainda não conhece os postulantes. Quando eu for governador, vou lutar pela propagação das informações e da programação local para a população se informar. Voltando à campanha, percebemos que as pessoas estão soltas, desencantadas… Muita gente só participa de reuniões, só apertam nossa mão e nos recepcionam, só porque somos do PSOL. Eles dizem que se fosse de outros partidos não nos recepcionariam. E outra, acho que há um direcionamento das pesquisas, pois tem muitas pessoas que dizem que votam para não perder o voto. Essa forma como as pesquisas, que sou contra, são feitas, com poucos números de entrevistados, não dá a dimensão da Bahia. Afirmo que mais de 80% dos eleitores não sabem ainda em quem eles vão votar. Com isso temos grande confiança do nosso crescimento de campanha. Leia a entrevista completa no Tribuna.
Tribuna

Marina pode levar a segundo turno na Bahia

Foto: Divulgação/Arquivo

Será que Lídice vai ser empurrada morro acima pelo "Tsunami Marina?"
A consolidação do “fenômeno Marina”, sobre o qual havia grande expectativa até a semana passada, mas foi confirmado na última sexta-feira, quando saiu a pesquisa Datafolha revelando o empate da presidenciável do PSB com a presidente Dilma Rousseff no primeiro turno, na faixa dos 34% das intenções de voto, acendeu definitivamente as luzes de alerta das candidaturas majoritárias ao governo da Bahia. O mais forte deles, no entanto, lançou também um sinal sonoro de atenção máxima sobre o grupo que acompanha o candidato do DEM ao governo, Paulo Souto.
Até então, pelos números que Marina conseguira agregar e o potencial eleitoral que demonstrava, as preocupações quanto à perspectiva de crescimento da socialista se
restringiam aos apoiadores da candidatura encabeçada pelo petista Rui Costa. O desempenho ascendente da ex-senadora, medido então pelo Ibope, representava dificuldades na performance baiana da presidente Dilma Rousseff, em que, por uma questão de estratégia definida antes da tragédia de 13 de agosto, Rui havia buscado pongar como forma de alavancar sua campanha sobre o eleitorado local.

Com o Datafolha de sexta-feira, entretanto, as mesuras identificadas na campanha do petista em relação à presidenciável do PSB foram se deslocando para a articulação política de Souto, onde uma questão ganhou grande destaque entre todas que começaram a ser feitas quanto ao encaminhamento de sua estratégia desde a sexta-feira. Trata-se de saber até que ponto o crescimento de Marina vai impactar positivamente a senadora Lídice da Mata (PSB), sua única e legítima representante local, cujos primeiros sinais eram de que não vinha absorvendo influência alguma do “fenômeno Marina” em sua campanha.
Apesar de ter se esquecido de mencionar Marina uma vez sequer no debate de que participou na Bandeirantes, na última quinta-feira, Lídice passou a dar prioridade ao fortalecimento da vinculação entre as duas nas inserções comerciais da campanha na televisão e no rádio desde então. A preocupação do comando do DEM é de que a senadora socialista seja empurrada morro acima pelo “Tsunami Marina”, jogando a disputa pela sucessão de Jaques Wagner (PT) para o campo imprevisível do segundo turno, uma condição que os soutistas querem evitar a todo custo por razões óbvias.
No mesmo debate da Band, era visível que a estratégia usada por Lídice desde o primeiro momento foi a de desbancar Rui pelo segundo lugar. Marchou para cima dele imputando-lhe adjetivos que não tardariam a ser usados pelos adversários, a exemplo de “inimigo público número 1 do funcionalismo”. Como a expectativa de crescimento do petista persiste, dado principalmente a força da máquina estadual, nada impede que, se for empurrada por Marina, Lídice, junto com ele, ajude a levar a disputa ao segundo turno, momento em que não teriam problema em se unir contra Souto.
* Artigo publicado originalmente na Tribuna da Bahia.
Raul Monteiro*

Datafolha exclui de novo Bahia de pesquisa eleitoral

Pela segunda vez, sem explicação plausível, o Datafolha exclui a Bahia de suas pesquisas eleitorais sobre a sucessão estadual e a presidencial. Uma nova sondagem começou a ser feita pelo instituto, a pedido da Folha e da TV Globo, de hoje até esta quarta-feira, sobre o cenário presidencial. Os estados a serem pesquisados em datas variadas, no mesmo período, são São Paulo, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Ceará e Distrito Federal.

Marina e Dilma se enfrentam hoje em debate

Foto: Divulgação

Marina e Dilma
As candidatas à Presidência Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB) vão se confrontar nesta segunda-feira, 1º de setembro, pela primeira vez após a pesquisa Datafolha que mostrou ambas empatadas com 34% das intenções de voto no primeiro turno. Juntamente com Aécio Neves (PSDB), que apareceu com 15% no levantamento, as presidenciáveis vão participar, às 17h45, de debate promovido pela Folha de S. Paulo, UOL, SBT e Jovem Pan, nos estúdios da emissora de televisão. Os candidatos já estiverem frente a frente no debate realizado pela TV Bandeirantes, na última terça-feira (26). Naquele dia, porém, a pesquisa mais recente era do Ibope e apontava Dilma com 34%, Marina com 29% e Aécio com 19% das intenções de voto no primeiro turno. O evento, que será mediado pelo jornalista Carlos Nascimento, vai ser dividido em quatro blocos e terá duração total de 1h40 minutos. O primeiro bloco terá perguntas livres entre os candidatos, com réplicas e tréplicas. A segunda parte envolverá perguntas de jornalistas dos veículos que promovem o debate, que escolherão um candidato para responder e outro para comentar. O terceiro bloco terá o mesmo formato do primeiro e o quarto será de considerações finais dos presidenciáveis. Também participarão do debate os candidatos Pastor Everaldo (PSC), Eduardo Jorge (PV), Luciana Genro (PSOL) e Levy Fidelix (PRTB), cujos partidos têm representação na Câmara dos Deputados.
Stefânia Akel, Agência Estado
Ex-presidente Lula vem a Salvador nesta semana, diz coluna
Ex-presidente Lula vem a Salvador nesta semana, diz coluna
Foto: Antônio Cruz/ABr
Próximo das eleições de outubro e com as tensões afloradas por conta dos resultados das últimas pesquisas, o PT trará mais um trunfo à Bahia, quarto maior colégio eleitoral do país e onde o partido tradicionalmente vence as eleições presidenciais. Lula vem à capital baiana nesta semana, de acordo com a coluna Tempo Presente. Previsto para esta quarta-feira (6), o provável é que sua presença aqui no estado aconteça somente no sábado. As apostas de lugares onde o ex-presidente fará palanque, segundo a coluna, são Praça Castro Alves, Subúrbio Ferroviário ou Cajazeiras. O presidente estadual da sigla, Everaldo Anunciação, ainda não revelou o local. 
Novo PMDB fica com Marina; Geddel na liderança

O PMDB é um partido que se divide em duas alas. Uma delas, comandada pelo vice-presidente Michel Temer, onde atuam Sarney, Renan Calheiros e Fernando Collor, está fechada com Dilma Rousseff, mas, agora, passa a estar na corda bamba diante do avanço estonteante de Marina Silva. A ala minoritária que, no momento, apóia Aécio Neves, com grande influência do candidato a senador pela Bahia Geddel Vieira Lima, somente aguarda o fechamento das urnas do primeiro turno para declarar apoio a Marina, arrebentando de vez a força pragmática do PMDB, que atua em torno das vantagens oferecidas pelo Palácio do Planalto. Provavelmente, o líder desta facção em caso de vitória de Marina Silva será Geddel, empurrando o outro grupo para a oposição, estabelecendo-se, assim, um nítido divisor de águas no partido. Este grupo hoje minoritário, pensa num novo PMDB e já se fala que ele poderá dar sustentação à Marina no Congresso Nacional, deixando o velho PMDB junto com o PT na oposição. O movimento está vivo, mas não se manifestará por ora. 

por Samuel Celestino

domingo, 31 de agosto de 2014

Marina faz caminhada na Rocinha e promete respeito às comunidades



A candidata à Presidência da República Marina Silva (PSB) fez ontem (30) uma caminhada pela comunidade da Rocinha, na zona sul do Rio de Janeiro. Cercada por correligionários e candidatos a cargos no Legislativo, ela parou algumas vezes para conversar com moradores e comerciantes. Marina disse que o programa de seu partido inclui o respeito às comunidades, com acesso a serviços públicos de qualidade na saúde e educação, além de um “esforço continuado para que a segurança pública possa de fato resolver o problema da violência”. Ela disse que é preciso também destinar recursos para urbanizar e regularizar os locais de moradia existentes, sem remoções das comunidades. “O nosso compromisso é tratar as comunidades com respeito ao seu território, à sua identidade cultural. E temos uma meta de aumentar em mais 4 milhões as moradias do Programa Minha Casa, Minha Vida, inclusive com os programas para atender às comunidades nas suas próprias regiões de moradia, fazendo a urbanização e criando os espaços de convivência; [implantando] a educação de tempo integral, valorizando os espaços de afetividade e de cultura nas comunidades”. Quanto à retirada do programa de governo do trecho que propunha apoio ao casamento civil para pessoas do mesmo sexo, Marina disse que houve um “engano”, e foi divulgado um texto que não havia sido aprovado pela coordenação da campanha. De acordo com ela, o mesmo ocorreu em relação à energia nuclear. “Não é que foi uma revisão. Na verdade, nós tivemos dois problemas no programa, que foi em relação à energia nuclear, que na parte de ciência e tecnologia foi incluída uma questão que não havia sido acordada entre mim e o Eduardo [Campos], e na parte do movimento LGBT. O texto para publicação foi o texto tal como foi apresentado pela demanda dos movimentos sociais. Todos os movimentos sociais apresentaram suas demandas; foram feitas as mediações e se contemplou o tanto quanto possível as propostas. Agora voltou com o texto que foi mediado”. De acordo com ela, independentemente da posição quanto à política LGBT, o compromisso da candidatura é com a defesa do Estado Laico, respeito à liberdade individual e à liberdade religiosa.
Akemi Nitahara, Agência Brasil

Sem crédito público, Brasil para, afirma Dilma

Foto: Divulgação



Presidenta Dilma Rousseff
A candidata à reeleição Dilma Rousseff, afirmou na tarde deste sábado, 30, que, sem o crédito subsidiado pelo governo federal, vários setores da economia serão afetados negativamente. “Não é só o Minha Casa, Minha Vida. O mais grave é que também não vai ter Plano Safra da agricultura, do agronegócio. Hoje, todo o dinheiro do plano safra, tudo tem participação do recurso público”, disse. Dilma rebateu propostas de seus adversários, dizendo que uma delas tira do Brasil o “passaporte para o futuro”, que é o petróleo do pré-sal. “Vocês começam a ver a gravidade das propostas que estão ai”, alertou. A outra proposta, segundo ela, impedirá que o governo federal financie o metrô. A candidata do PT explicou como funciona o empréstimo: 30 anos para pagar, cinco anos de carência, e 5% de taxa de juros. Ela salientou que taxa básica de juros, a Selic, atualmente está em 11% ao ano, mas que, no mercado, é possível encontrar taxas de 20%, 30%. “Sem banco público, sem subsídio do governo federal, não tem nenhum investimento em transporte”, afirmou. Essas propostas são, conforme a presidente, “aventureiras” e “atrasadas”. “Mas fazem parte de uma proposta aparentemente avançada, demagógica e, sobretudo, não sei a que interesse serve. Fiquem atentos, olho aberto, vocês têm de escutar essa questão, que vai afetar a vida de todos nós”, alertou. Ainda no discurso no interior de São Paulo, Dilma continuou dizendo que essas propostas afetarão a construção de equipamentos por todo o Brasil e os investimentos do Estado. “Não há financiamento no Brasil, acima de 10 anos, sem o governo federal subsidiar. Estou afirmando isso. Estou falando isso por um motivo, o Brasil não pode parar, o Brasil tem de continuar fazendo seus programas sociais.” Ao final, a presidente pediu aos prefeitos que a escutavam que ficassem atentos. “Quem vai vencer essa campanha somos nós e a verdade. Vocês, que se integram a esse ‘nós’, me ajudaram em 2010 e vão me ajudar agora.”
Célia Froufe, Ricardo Brito e Victor Martins, Agência Estado

Alckmin afirma acreditar em “virada” de Aécio

Foto: Divulgação

Aécio Neves e Geraldo Alckmin
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à reeleição, disse neste sábado que Aécio Neves pode “virar” a corrida presidencial e vencer as eleições. Discursando a um público de aproximadamente 2 mil pessoas, que se espremeram no salão do Clube Palestra, em São José do Rio Preto, Alckmin afirmou que as “grandes viradas” dos candidatos “ocorrem sempre na reta final da campanha”. Alckmin lembrou da campanha a governador de Mário Covas, que conseguiu reverter as intenções de voto e se reelegeu governador de São Paulo. “As grande viradas sempre acontecem só no final. Mário Covas, quando esteve aqui neste mesmo lugar, só passou para primeiro lugar a quatro dias do dia das eleições. Ele estava em último, passou os outros candidatos e ganhou a eleição com 2 milhões de votos’, comentou o governador. O evento, que reuniu as principais lideranças do PSDB – o candidato a presidente Aécio Neves, o vice Aloysio Nunes, Alckmin e candidato a senador José Serra – ocorreu um dia depois da divulgação da pesquisa do Datafolha, que aponta a queda de cinco pontos de Aécio, colocando-o em terceiro lugar, atrás de Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PSB), empatadas com 34%. Alckmin passou a maior parte do seu discurso, de cerca de 20 minutos, falando das ações de seu governo para melhorar a qualidade de vida dos paulistas e pediu mais votos para Rodrigo Garcia – candidato a deputado federal que organizou o evento – do que para Aécio Neves. Alckmin e Aécio poucas vezes se abraçaram sorrindo. Os dois, que chegaram juntos ao clube, saíram separados; Aécio primeiro, Alckmin em seguida. O ex-governador José Serra chegou a atrasado ao evento e começou a discursar depois que Alckmin e Aécio já tinham se retirado. Muitas pessoas foram embora antes que seu discurso terminasse.
Agência Estado

Estudantes de universidades públicas terão bolsa, garante Rui

Chapa majoritária fez caminhada no município de Ipirá
O que era para ser uma carreata se transformou em uma grande caminhada pelas ruas de Baixa Grande, culminando em mais de 10 mil pessoas na praça de Ipirá, na noite do sábado (30). A Caravana 13 com os candidatos da coligação Pra Bahia Mudar Mais Rui Costa (governador), Otto Alencar (senador) e João Leão (vice-governador), acompanhados do governador Jaques Wagner, foi recepcionada pelo prefeito Ademilton Sampaio com a afirmação de que participavam daquele comício “gente não só de Ipirá, mas também da Baixa Grande e Pintadas. Esse aqui é um palanque forte”, afirmou. Falando pelos gestores da região, Sampaio frisou a crença da população no avanço do trabalho, que segundo ele, vem mudando a realidade do estado. “O candidato da oposição, ex-governador, em dois mandatos não conseguiu investir R$5 mi. Só a estrada para Pintadas, que Wagner fez, foi R$16 mi”, comparou. Rui reiterou o compromisso de investir em infraestrutura, saúde e educação e garantiu que a Chapada terá sua Universidade Federal. A proposta dele é criar cinco novas universidades federais no estado, oferecer 150 mil vagas de ensino profissionalizante, com garantia do primeiro estágio para os jovens que estiverem nos cursos técnicos, além de e bolsa para os universitários das instituições públicas. “Educação é o único patrimônio que pais pobres podem dar aos seus filhos e não vou deixar que os estudantes parem de estudar por falta de dinheiro”. Jaques Wagner disse que Rui sabe bem do que fala. “Estudou em escola pública, fez curso técnico e se formou na Ufba – na época, a única Federal da Bahia”, disse o governador, atestando que o candidato petista tem responsabilidade com os avanços necessários . “Tenho certeza que Rui vai ser um governador melhor do que eu fui. Ele errou e acertou ao meu lado, sempre pensando no melhor para a Bahia”. Na manhã desse domingo a Caravana 13 iniciou a campanha com Carreata na cidade de Alagoinhas e, à tarde segue Valente e Retirolância, encerrando as atividades com comício em Conceição do Coité.

Site de Marina Silva sofre ataques e sai no ar

O site da campanha de Marina Silva, candidata do PSB à presidência da República, sofreu dois ataques e ficou fora do ar por mais de uma hora, de acordo com nota divulgada neste domingo, 31, pela sua assessoria de imprensa. O primeiro ataque ocorreu no sábado, 30, e o segundo neste domingo. Os ataques deixaram o site fora da rede por uma hora no sábado, entre 21h e 22h, e por cerca de 20 minutos neste domingo no começo da tarde. Nos dois episódios, a equipe técnica ligada à coordenação da campanha restabeleceu a normalidade das conexões e reforçou os sistemas de segurança. Novas instabilidades, porém, podem voltar a ocorrer, de acordo com a nota. A assessoria não informou de onde partiram os ataques, mas mencionou que medidas judiciais estão sendo providenciadas para apurar a origem da ação, classificada como “criminosa e antidemocrática”.
Setor de energia eólica vai investir R$ 15 bilhões em 2014

Setor de energia eólica vai investir R$ 15 bilhões em 2014
Foto: Arquivo/Agência Brasil
O setor de energia eólica vai investir, somente neste ano, cerca de R$ 15 bilhões, com a perspectiva de manter este patamar de investimentos nos próximos anos. Com isso, em dez anos, a energia eólica deve corresponder a 11% da  matriz energética brasileira, informou a presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeolica), Elbia Melo. Segundo ela, um dos maiores desafios do setor no Brasil é o desenvolvimento da cadeia produtiva para garantir o andamento dos projetos e manter o índice de nacionalização, critérios básicos para conseguir financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). "É um desafio que chamamos de emergencial. Temos que vencer rapidamente. Ano passado nós vendemos 4,7 gigawatts (GW). Isso significa que temos que fabricar equipamentos. O adensamento da cadeia produtiva talvez hoje seja o ponto de maior atenção. Não entendemos como um ponto intransponível, mas como uma questão que temos que vencer, que discutir e trazer soluções de curto prazo para seguir na trajetória de consolidação que a indústria está indo de sustentabilidade de longo prazo  ", disse à Agência Brasil. Na avaliação de Elbia Melo, com a diversificação da matriz energética brasileira que já acontece, no futuro, a tendência é a redução da participação das hidrelétricas e de aumento das fontes renováveis. "Nesse processo a energia eólica é a atriz principal. Ela vai ser rapidamente a segunda fonte a participar da matriz. Do ponto de vista da oferta, nós não temos problema em termos de potencial. É essa a posição que o setor eólico está buscando garantir e nós temos todas as condições de fazer isso. O setor eólico está em um momento virtuoso e vai continuar nesta trajetória tendo em vista a base que a indústria construiu no Brasil", explicou.
Racismo é o segundo crime mais denunciado na internet
Racismo é o segundo crime mais denunciado na internet
Foto: Reprodução/ESPN
O crime de racismo na internet é o segundo com maior número de denúncias e perde apenas para pornografia infantil. De acordo com dados da ONG Safernet Brasil, que controla a Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos, somente em 2013 foram 78.690 denúncias anônimas de racismo, pouco menos que as 80.195 denúncias de pornografia com crianças. Entre 2006 e 2013, as notificações de ofensas raciais somaram 383.372, e envolveram 51.649 páginas distintas escritas em sete idiomas e hospedadas em 6.392 hosts diferentes. "A situação torna-se ainda mais preocupante se considerarmos que, nos primeiros quatro anos de levantamento, o crime de racismo era o quarto com maior número de denúncias", diz o presidente da Safernet, Thiago Tavares Nunes de Oliveira, ao A Tarde. Segundo o presidente, casos de homofobia e apologia e incitação a crimes contra a vida eram mais comuns há alguns anos. O assunto voltou a chamar a atenção da sociedade após dois casos se tornarem conhecidos. No primeiro, um casal em que um jovem branco e sua namorada negra postou uma foto na rede social Facebook e gerou diversos comentários racistas como "Eu acho que você roubou o branco para tirar a foto", "onde comprou essa escrava?" e "parece até que tão (sic) na senzala". No segundo, ainda mais recente, o goleiro do time paulista Santos, Aranha, foi chamado de macaco por torcedores do rival Grêmio durante uma partida. Câmeras da ESPN flagraram uma jovem claramente gritando a palavra para o atleta.
Lídice diz que vai levar propostas ‘para todos os cantos da Bahia’
Lídice diz que vai levar propostas ‘para todos os cantos da Bahia’
Foto: Divulgação
Em sua passagem pelas cidades de Vitória da Conquista e Guanambi, no sudoeste, a candidata a governadora pelo PSB Lídice da Mata (PSB) convidou a população a levar suas propostas e as da candidata à Presidência da República Marina Silva a todos os cantos do Estado. “Vamos vestir a camisa do partido e sair às ruas, fazer um corpo a corpo, chamando o povo para dizer porque o PSB quer mudar o Brasil e a Bahia. Não vamos descansar até o dia 5 de outubro”, prometeu a candidata. Acompanhada do candidato a vice Eduardo Vasconcelos e por diversas lideranças regionais, Lídice inaugurou dois comitês em Conquista, onde também fez panfletagem, e outro em Guanambi, depois de participar de uma carreata. A socialista afirmou não querer pensar para trás e sim para o futuro, e disse acreditar que “o que vai nos dar a vitória é a apresentação dos nossos ideais”. Ela aproveitou para destacar sua defesa da educação como vetor de desenvolvimento do Estado.  “A Bahia tem 1,4 mil escolas na rede estadual e em apenas 59 delas é oferecido o ensino em tempo integral, mesmo assim de forma muita precária. Escola de tempo integral não é apenas um espaço em que o aluno fica durante os dois turnos. É principalmente um conceito de educação integral, que envolve esporte, lazer, conhecimento, iniciação para o trabalho e o desenvolvimento das capacidades culturais, artísticas”, explicou.
Operação prende três por venda de merenda escolar em Teixeira de Freitas
Operação prende três por venda de merenda escolar em Teixeira de Freitas
Foto: Teixeira News
Três pessoas foram presas e três supermercados interditados após uma operação conjunta do Ministério Público e das Polícias Civil e Militar em Teixeira de Freitas, nesta sexta-feira (29), por comercializarem produtos alimentícios desviados da merenda escolar. De acordo com o site Teixeira News, foram apreendidas cerca de 2 toneladas de mercadorias com lacre do Governo Federal e que deveriam ser distribuídas nas escolas públicas da região. A suspeita é que os lotes de alimentos foram desviados de escolas de assentamentos de reforma agrária da região. Os delegados Kleber Gonçalves e Marco Antônio Neves que atuam no caso, encaminharam a mercadoria para a perícia técnica, com o objetivo de identificar o código de barras das embalagens para se saber precisamente de que setor veio a mercadoria do governo federal, para onde os produtos iriam e quem estão envolvidos no desvio da merenda escolar. O Ministério Público anunciou que na segunda (1º) vai solicitar prisão preventiva dos donos dos supermercados, que devem responder por crime de receptação qualificada e poderão também serem enquadrados por crime tributário. Com informações do site Teixeira News.

sábado, 30 de agosto de 2014

Datafolha mostra Dilma e Marina empatadas com 34%; Aécio tem 15%
datafolhaPesquisa Datafolha sobre a corrida presidencial, divulgada nesta sexta-feira (29), indica uma situação de empate entre a presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, e a ex-senadora Marina Silva, candidata do PSB. Cada uma aparece com 34% das intenções de voto. A seguir, vem o senador Aécio Neves (PSDB), com 15%. Na pesquisa anterior do Datafolha, divulgada no último dia 18, Dilma tinha 36%, Marina, 21% e Aécio, 20%. Na simulação de segundo turno entre Dilma e Marina, a ex-senadora alcançou 50% contra 40% da presidente. Na pesquisa anterior, Marina tinha 47% e Dilma, 43%. No levantamento desta sexta, Pastor Everaldo (PSC) obteve 2%. Os outros sete candidatos somados têm 1%. Segundo o levantamento, os que disseram votar branco ou nulo são 7%, mesmo percentual dos que não sabem em quem votar.
Veja os números do Datafolha para a pesquisa estimulada (em que uma cartela com a relação dos candidatos é apresentada ao entrevistado):
- Dilma Rousseff (PT): 34%
- Marina Silva (PSB): 34%
- Aécio Neves (PSDB): 15%
- Pastor Everaldo (PSC): 2%
- José Maria (PSTU): 0% *
- Eduardo Jorge (PV): 0% *
- Luciana Genro (PSOL): 0% *
- Rui Costa Pimenta (PCO): 0% *
- Eymael (PSDC): 0% *rejeicao
- Levy Fidelix (PRTB): 0% *
- Mauro Iasi (PCB): 0% *
- Brancos/nulos/nenhum: 7%
- Não sabe: 7%
(*) Os candidatos indicados com 0% são os que não atingiram 1% das intenções de voto; somados, os sete têm 1%.
A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo”. O Datafolha fez 2.874 entrevistas em 178 municípios nestas quinta (28) e sexta (29). A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista.
A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00438/2014.
Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao entrevistado em quem ele pretende votar, sem apresentar a lista de candidatos), os resultados são os seguintes:
- Dilma Rousseff: 27%
- Marina Silva: 22%
- Aécio Neves: 10%
- Outras respostas: 3%
- Em branco/nulo/nenhum: 3%
- Não sabe: 32%
Segundo turno
Nas simulações de segundo turno, o Datafolha avaliou os seguintes cenários:
- Marina Silva: 50%
- Dilma Rousseff: 40%
- Brancos/nulos/nenhum: 7%
- Não sabe: 3%
- Dilma Roussef: 48%
- Aécio Neves: 40%
- Brancos/nulos/nenhum: 9%
- Não sabe: 4%
O Datafolha não realizou simulação de segundo turno entre Marina e Aécio.
A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Nesse item da pesquisa, os entrevistados puderam escolher mais de um nome.
- Dilma Roussef: 35%
- Pastor Everaldo: 23%
- Aécio Neves: 22%
- Zé Maria: 18%
- Eymael: 17%
- Levy Fidelix: 17%
- Rui Costa Pimenta: 16%
- Luciana Genro: 15%
- Marina Silva: 15%
- Eduardo Jorge: 14%
- Mauro Iasi: 14%
Avaliação da presidente
A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma Rousseff tem a aprovação de 35% dos entrevistados – no levantamento anterior, eram 38%. O índice se refere aos entrevistados que classificaram o governo como “ótimo” ou “bom”.
Os que julgam o governo “ruim” ou “péssimo” eram eram 23% e agora são 26%, segundo o Datafolha. Para 39%, o governo é “regular” – 38% no levantamento anterior.
- Ótimo/bom: 35%
- Regular: 39%
- Ruim/péssimo: 26%
- Não sabe: 1%
A nota média atribuída pelos entrevistados ao governo foi 5,9 – na pesquisa anterior, foi 6,0.
E se Lula voltar ao palco?

E se Lula voltar ao palco?
Ilustração
Há três dias aqui do BN chamei atenção sobre a possibilidade do retorno da campanha  “volta Lula” para que o seu PT não venha  entrar em derrocada diante das dificuldades que Dilma Rousseff e do seu governo enfrentam,  agora com a economia em recesso técnico,  Guido Mantega à frente do ministério da Fazenda. Ainda está viva a idéia. Só que, agora, com a disparada de Marina Silva, se Lula tentar uma reviravolta terá que pensar dez vezes. Se Dilma perder a eleição  o teto cai sobre o PT, mas se acontecer com o líder e fundador do partido será muito diferente. Com ele comandando a campanha, o que já acontece na República e nos estados, e se vier a tomar o lugar que é ocupado por Dilma e não houver uma reviravolta e ele perder as eleições, o PT corre o risco de virar uma lembrança, porque jamais encontrará um líder com é Luiz Inácio. Nos altos escalões do PT o “volta Lula” é ainda uma realidade, que poderá desaparecer com a última pesquisa Datafolha em que há um empate cravado  no primeiro turno e uma sova no segundo turno, com Marina colocando 10% dos votos à frente de Dilma. Pode-se, no entanto, observar, aqui mesmo no BN, a declaração feita pelo governador Jaques Wagner ao jornal A Tarde, recomendando esperar mais cinco, seis dias. O que acontecerá até lá, a não ser a possibilidade de um retorno ao voto de Lula, cuja data mágica é o sete de setembro? Há sinais, sim. Mas é fato que a pesquisa Datafolha trouxe uma realidade que o PT não esperava. Aí surge o dilema: vale a pena Lula voltar – se for o caso - e apostar todo o seu prestígio de líder carismático?

por Samuel Celestino
Dilma: governar sem partidos é flertar com autoritarismo

Dilma: governar sem partidos é flertar com autoritarismo
Foto: Ichiro Guerra/Divulgação
Em um recado indireto a sua adversária Marina Silva (PSB), a presidente Dilma Rousseff criticou na tarde deste sábado (30) aqueles que pretendem governar prescindindo dos partidos políticos. Em ato de campanha em Jales (SP), com a presença do seu vice, Michel Temer, e do candidato do PMDB ao governo, Paulo Skaf, Dilma exaltou sua parceria com os peemedebistas, chamando a legenda de "partido da democracia", e disparou: "Numa democracia, quem não governa com partidos está flertando com o autoritarismo. No mundo, não há um único lugar que se governa sem partidos", disse. Dilma afirmou que no evento no interior paulista estão presentes aqueles que acreditam que a Petrobras é uma grande empresa e que não querem reduzir o papel da estatal petrolífera. Segundo a presidente, a riqueza produzida pela companhia será o passaporte para o futuro e para a educação do País. "Nós somos aqueles que sabem que, sem apostar na educação, o nosso País não cresce", afirmou. A presidente disse que, sem a ajuda do Parlamento, não teria sido aprovada a destinação dos recursos dos royalties do petróleo e a destinação de recursos do pré-sal para a saúde e educação. Numa referência aos adversários, ela disse que há quem quer "acabar" com a Petrobras.

Estadão
Assaltantes roubam mais de R$ 500 mil da Caixa em Vitória da Conquista


Assaltantes roubam mais de R$ 500 mil da Caixa em Vitória da Conquista
Foto: Blog do Anderson
Em plena região comercial de Vitória da Conquista, um assalto à agência da Caixa Econômica Federal causou um prejuízo de mais de R$ 500 mil, de acordo com informações do Blog do Anderson. O incidente aconteceu na manhã desta sexta-feira (29), quando homens teriam rendido um dos funcionários que abastecia os terminais de autoatendimento, na parte frontal da agência, localizada, segundo informações do site, numa das áreas mais movimentadas da cidade, na Praça Barão do Rio Branco. De acordo com a Caixa, as imagens estão sendo analisadas pela Polícia Federal, que investiga o caso.
Souto promete novo ciclo de desenvolvimento na região de Itapetinga
Souto promete novo ciclo de desenvolvimento na região de Itapetinga
Foto: Valter Pontes/ Divulgação

Souto promete novo ciclo de desenvolvimento na região de ItapetingaFoto: Valter Pontes/ Divulgação
De passagem pelo município de Itapetinga, no polo calçadista baiano, o candidato ao governo pelo DEM, Paulo Souto, prometeu, caso eleito, um novo ciclo de desenvolvimento para a região. “Vamos voltar a atrair indústrias para o interior e trabalhar para que elas permaneçam na Bahia, dando empregos aos baianos”, afirmou o candidato, que percorre oito municípios nessa região neste sábado (30). Nas visitas em carreata a Itambé, Caatiba, Macarani, Maiquinique, Itarantim, Potiraguá, Itororó, que vai culminar num grande comício em Itapetinga, à noite, Paulo Souto critica o que classifica como consequências da desatenção do governo petista, o fechamento de várias fábricas do polo calçadista, implantado nas gestões do candidato oposicionista. “Por causa da falta de empenho do governo do PT, o desemprego está grassando com o fechamento das fábricas de calçados deste polo calçadista, instalado por mim nesta parte do Sudoeste. E o resultado é o crescimento da violência, que apavora a população da região”, ataca Souto.

Wagner diz que Aécio ‘dificilmente se recupera’ e admite 2º turno entre Dilma e Marina

Wagner diz que Aécio ‘dificilmente se recupera’ e admite 2º turno entre Dilma e Marina
Foto: Blog do Anderson

O governador Jaques Wagner avaliou que o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, foi completamente deslocado da disputa após a ascensão de Marina Silva (PSB/ Rede) nas pesquisas de intenção de voto – no Datafolha divulgado nesta sexta-feira (29), Marina aparece empatada com Dilma Rousseff (PT) com 34%. “Eu acho que ela deslocou completamente Aécio Neves da disputa. Será muito difícil ele retornar, porque não se trata dele ter 15%, se trata de que ele está em processo descendente em relação à opinião pública. Dificilmente, ele se recupera. Acho que está consolidado que nós vamos ter o segundo turno entre duas mulheres, o que eu acho fantástico, acho fascinante para a democracia brasileira”, afirmou Wagner, durante visita à Vitória da Conquista neste sábado (20). Sobre a própria sucessão, o governador reafirmou que aposta numa virada do candidato do PT, Rui Costa, contra Paulo Souto (DEM), que lidera as pesquisas. ““É uma questão de conhecimento que será resolvida com mais programa de televisão e rádio. Eu não tenho nenhuma dúvida, tenho muita segurança e modéstia à parte, disso eu entendo”, disse ao Blog do Anderson.
Eleições 2014: Em Conquista, Rui Costa se reúne com empresários e puxa caminhada

Fotos: Blog do Anderson

A manhã deste sábado (30) foi movimentada em Vitória da Conquista, tanto pelo Festival de Inverno Bahia como também no campo político. Num café da manhã, o deputado federal Rui Costa (PT-BA), candidato ao Governo Baiano pela coligação “Pra Bahia crescer mais”, discutiu demandas com entidades empresariais, acompanhado do governador Jaques Wagner e os postulantes a vice-governador e ao Senado, João Leão e Otto Alencar, respectivamente.

1-DSC_1381

A visita do petista à Suíça Baiana concluiu com uma passeada na Zona Leste. Segundo a comissão organizadora o ato concentrou quase 3 mil pessoas.





Fotos: Blog do Anderson
Eleições 2014: Lídice inaugura comitê em Conquista

Fotos: Blog do Anderson

A senadora Lídice da Mata (PSB-BA), candidata ao Governo da Bahia pela coligação “Um Novo Caminho para a Bahia”, cumpre agenda em Vitória da Conquista nesta sexta-feira (29). Em Conquista, Lídice inaugurou o Comitê Central da Campanha Majoritária, situado na Rua Francisco Santos, 120, Centro, ao lado do seu candidato a vice Eduardo Vasconcelos.

151-DSC_0872

Em seguida, Lídice e Eduardo fizeram panfletagem no Terminal da Lauro de Freitas, acompanhados do vice-prefeito de Vitória da Conquista e presidente do PSB local, Joás Meira Cardoso, e demais lideranças e militantes do partido.

017-DSC_0737


Ainda em Vitória da Conquista, Lídice também inaugurou o comitê dos candidatos socialistas Nadjara Régis (Deputada federal) e José Carlos Oliveira (Deputado estadual), no bairro da Patagônia. A passagem pela Capital do Sudoeste Baiano será concluída com a participação do Festival de Inverno Bahia.

Fotos: Blog do Anderson

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Cândido Sales:Reunião sobre Maria da Penha em Lagoa do Timotéo 

Foi realizado no último dia 24/08 no distrito de Lagoa do Timoteo com apoio da Prefeitura Municípal, uma reunião do Projeto  Compromisso e Atitude pela Lei Maria da Penha! 

O evento foi para relembrar o aniversario da lei Maria da Penha LEI 11.340/2006. 

Na ocasião foi feito esclarecimentos sobre a violência contra mulher,destacando os principais avanços com a Lei Maria da Penha;incentivando ainda a população à fazer denúncia contra abuso e violência contra a mulher.

Participaram da reunião a coordenadora do Creas Gleyce Farias representando  Assistência Social,o enfermeiro Zamu representando o USF do local da Atenção Básica De Cândido Sales, a Policia Militar representada pelo Major Siqueira e soldado e pelo psicologo da companhia Edevaldo, Clarice Ferraz diretora da Escola Antonio Jose Alves representando a rede Educacional. 

Todos pelo fim da violência contra mulher!

Prefeitura de Cândido Sales, um novo governo,uma nova história.