segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Tropas federais vão atuar em pelo menos 170 municípios nas eleições

Foto: Reprodução
Pelo menos 170 municípios de cinco estados do país terão o apoio de forças federais nas eleições deste ano. Os pedidos dos tribunais regionais eleitorais do Maranhão, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte e Tocantins foram aprovados pelo plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Até agora, foram feitas 209 solicitações ao TSE. Novos pedidos ainda poderão ser feitos. O Piauí é o estado com o maior número de cidades atendidas, um total de 65. Na última eleição, o estado contou com tropas federais em 39 municípios, sendo um dos estados no ranking com maior pedido de segurança junto ao TSE. Além das tropas federais, cerca de 6 mil homens das polícias federal, militar, civil e rodoviária federal também estarão atuando no Piauí durante o pleito. Logo depois vêm o Pará, com 56, e o Rio Grande do Norte, com 36. Dez cidades do Maranhão e outras três do Tocantins também contarão com o auxílio de forças federais. As solicitações foram feitas para garantir “a ordem e a segurança” durante o processo eleitoral. Um pedido de reforço do TRE-RJ para cidades do estado foi negado no início do mês após o governador e o secretário da Segurança informarem ter condições de garantir a tranquilidade do pleito nas localidades sem necessidade de apoio da Força Nacional.
Correio*

FHC: ‘ninguém deve bater em ninguém’ em campanha

Foto: Divulgação

Ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso
O ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso acaba de chegar para evento promovido pelo Lide, na capital paulista. Na entrada, FHC foi abordado pela equipe do programa CQC e brincou que poderia disputar mais um vez a Presidência da República contra o petista Luiz Inácio Lula da Silva em 2018, para negar em seguida. Na rápida entrevista, FHC disse ainda que o correligionário Aécio Neves, candidato do PSDB à Presidência da República, deve continuar fazendo uma campanha propositiva. “Ninguém deve bater em ninguém”, disse o tucano. O evento do Lide terá a participação também do ex-presidente do BC Armínio Fraga, um dos principais colaboradores de Aécio Neves na área econômica nesta corrida ao Palácio do Planalto.
Elizabeth Lopes, Fernando Ladeira e Pedro Venceslau, Agência Estado

Marina critica Dilma por ter dito que erro foi ‘banal’

Foto: Wilson Dias

Marina Silva
A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, lamentou na manhã desta segunda-feira que a má gestão esteja prejudicando instituições como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Petrobras e as agências reguladoras. Para Marina, o erro na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) prejudica a credibilidade “de uma instituição tão importante para o planejamento das políticas públicas”. “Lamento que indicações políticas que muitas vezes não obedecem a critérios técnicos dentro das agências, da Petrobras e do IBGE possam causar prejuízos”, criticou a candidata após participar de um evento na Associação Nacional de Educação Católica no Brasil, em Brasília. Ontem, a presidente Dilma Rousseff (PT) classificou os erros na Pnad como “banais”, o que foi rebatido hoje por Marina. “Não acho que se deva atribuir esses problemas todos como se fossem banais. Eles devem ser tratados com o nível de preocupação que o problema requer”, afirmou a candidata, enfatizando que, em um eventual governo do PSB, os cargos são preenchidos com base em critérios “técnicos e éticos”, com auxílio de um comitê de busca. Questionada sobre o uso do Palácio do Alvorada pela adversária do PT para conceder coletivas de campanha, Marina culpou o sistema de reeleição por causar, em sua visão, uma “confusão” sobre o uso institucional de prédios públicos no exercício da campanha. “Essa é uma ambiguidade que será resolvida com o fim da reeleição”, defendeu. Marina aproveitou para ressaltar que cumprirá um só mandato de quatro anos, se eleita, e enviará uma proposta de reforma política ao Congresso para que os cargos do Executivo sejam restritos a um mandato de cinco anos. Sobre a possibilidade de seus adversários manterem a estratégia de ataques ao seu programa de governo, Marina afirmou que vai continuar debatendo suas propostas e promovendo o debate. Durante o evento, a candidata do PSB voltou a repetir que não acabará com programas como o Bolsa Família e que pretende aprofundar projetos como ProUni, Fies e Pronatec. “Estão dizendo por aí que eu vou acabar com tudo e com o resto”, brincou a candidata. De acordo com Marina, as insinuações de seus adversários ferem “o bom senso e a inteligência dos brasileiros.” Marina também criticou a política “perversa de juros altos” e foi questionada sobre a governabilidade em um eventual. Ela insistiu na necessidade de criação de um sistema em que a governabilidade é programática e não “em função da troca de pedaços do Estado”. “A própria presidente Dilma, que tem 400 parlamentares na sua base, não consegue aprovar as coisas importantes”, lembrou.
Daiene Cardoso e João Domingos, Agência Estado

Dilma participará da Cúpula do Clima em Nova York


Antes de discursar na abertura da 69ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), na próxima quarta-feira (24), a presidenta Dilma Rousseff participará amanhã (23) da Cúpula do Clima, que deve reunir 120 chefes de Governo e Estado em Nova York para discutir ações nacionais que estão sendo tomadas para reduzir os impactos das mudanças climáticas. A cúpula, convocada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, não faz parte do calendário oficial de negociações da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (UNFCC, na sigla em inglês), mas será uma tentativa de avançar na agenda climática para subsidiar a 21ª Conferência do Clima (COP-21), em Paris, marcada para dezembro de 2015, que deverá chegar a um novo acordo global para conter as emissões de gases de efeito estufa. Dilma fará um discurso na Cúpula do Clima às 9h (10h no horário de Brasília). O Brasil também estará representado na reunião pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, que vai participar de um painel específico sobre florestas e de encontros bilaterais com ministros da área de outros países. A presidenta também deverá estar acompanhada do ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, que, antes de assumir o comando do Itamaraty, era o principal representante do Brasil nas negociações ambientais internacionais. De acordo com a ONU, cada país poderá levar à cúpula um balanço das ações que estão executando nas áreas de mitigação e adaptação às mudanças climáticas, além de apresentar propostas para conter o aquecimento do planeta. Junto com os governos, a reunião também terá representantes do setor privado e da sociedade civil. A Cúpula do Clima terá debates em oito áreas: agricultura, cidades, energia, financiamento, florestas, indústria, resiliência e transporte. Na quarta-feira, antes do discurso de abertura na Assembleia Geral da ONU, que sempre cabe ao Brasil, Dilma terá uma reunião com Ban Ki-moon. A presidenta embarca para os Estados Unidos na noite de hoje (22).
Luana Lourenço, Agência Brasil

Juiz nega cópia da delação premiada de ex-diretor da Petrobras à CPMI e à CGU

Foto: Divulgação

Ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa
O juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, impediu hoje (22) acesso às informações prestadas pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, em troca da delação premiada. Além da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), que investiga irregularidades na estatal, Moro também negou acesso à Controladoria-Geral da União (CGU) e à própria Petrobras. “Reconheço o papel relevante da CGU e das CPIs na investigação criminal e no controle da Administração Pública. Também enalteço o auxílio que a Petrobras S/A tem prestado para investigação e instrução dos processos nesse feito, bem como o legítimo interesse das três em obter cópia dos supostos depoimentos prestados por Paulo Roberto Costa. Entretanto, o momento atual, quando o suposto acordo e os eventuais depoimentos colhidos sequer foram submetidos à homologação judicial, não permite o compartilhamento, sem prejuízo de que isso ocorra no futuro”, justificou o juiz. Sérgio Moro determinou, conforme solicitado pelo presidente da CPMI da Petrobras, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), o encaminhamento à Comissão de cópia dos depoimentos da contadora do doleiro Alberto Youseff, Meire Poza. Na última reunião da CPMI, os parlamentares aprovaram a convoção da contadora, mas ainda não há data prevista para o depoimento dela na Comissão. Amanhã (23), o presidente e uma comissão de parlamentares da CPMI serão recebidos pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, e pelo ministro Teori Zavascki, relator dos processos da Operação Lava a Jato na Corte. Eles querem convencer os ministros a liberarem a documentação para a comissão. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, também participará do encontro.
Karine Melo, Agência Brasil

Eleitor deve levar um minuto e 14 segundos para votar, diz TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou hoje (22) que o eleitor deve levar em média um minuto e 14 segundos para votar na urna eletrônica. A estimativa leva em conta desde o momento em que o eleitor se apresenta ao mesário e vai à cabine de votação até o último voto na urna eletrônica. No dia 5 de outubro, serão eleitos deputados estaduais e federais, senadores, governadores e o presidente da República. A estimativa do TSE foi baseada no tempo gasto pelo eleitor para votar nas eleições gerais de 2010. Para agilizar a votação, o tribunal recomenda a utilização de um papel para anotar o número dos candidatos. A cola está disponível na página do TSE.

Lídice apresenta propostas para o Semiárido baiano

Foto: Divulgação

Candidata do PSB a governadora da Bahia, Lídice da Mata
O uso racional da água e a preservação das matas nativas são medidas que todo sertanejo baiano incorporou à sua rotina, pois o povo do Semiárido já tem plena consciência da pauta da sustentabilidade ambiental, disse a candidata a governadora Lídice da Mata, do PSB, durante o Fórum de Desenvolvimento Local Sustentável de Canudos, nesta segunda-feira (22). Foram convidados os três principais candidatos ao Governo do estado, mas somente ela compareceu ao evento, que reuniu representantes de 63 entidades da região e 30 professores universitários. A candidata apresentou as propostas de seu programa de governo para o Semiárido, que incluem a construção de barragens e a criação do corredor ecológico para recuperar e proteger as matas nativas nas margens do Rio São Francisco. Ela também defendeu a construção do eixo-sul do projeto de transposição do São Francisco. Lídice lembrou que, como senadora, já havia destinado R$ 1,1 milhão do orçamento da União para o DNOCS aplicar na revitalização do Açude Cocorobó e na modernização do perímetro irrigado do Rio Vaza Barris. O dinheiro, contudo, não foi aplicado e acabou se perdendo. “Lá, a irrigação usa um sistema obsoleto, de inundação, que gera desperdício de água, quando outras áreas usam o sistema de gotejamento, que economiza mais água”, explicou Lídice. A candidata comprometeu-se ainda com dois importantes projetos para Canudos: o de saneamento básico, para pôr fim ao esgoto a céu aberto presente na maioria das ruas da cidade, e a reforma do Hospital Genaro Rabelo de Alcântara, que receberá equipamentos para atender casos de média e alta complexidade. “O hospital tem estrutura física, mas não tem equipamentos de UTI, de neonatal, e aí se uma mulher grávida vai ter neném aqui e complica, tem de sair correndo por 200 quilômetros para achar uma maternidade que faça o parto cesariano. Isso se resolve com pouco, falta é vontade política”, destacou.

TCM denunciou quatro ex-prefeitos ao MP por causa de parceria com o Instituto Brasil

O Instituto Brasil Preservação Ambiental e Desenvolvimento Sustentável recebeu, entre os anos de 2005 e 2008, nada menos que R$28,6 milhões de quatro prefeituras de municípios baianos, cujos prefeitos foram denunciados ao Ministério Público Estadual, multados e instados a devolver recursos aos cofres públicos pelo Tribunal de Contas dos Municípios. Os municípios que firmaram parceria com a Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) para finalidades diversas, que vão desde a elaboração de projetos arquitetônicos a “ações transformadoras sócio-sanitárias”, foram Paulo Afonso, Camaçari, Lauro de Freitas e Madre de Deus. Destes, o único caso em que ainda cabe recurso no TCM é o de Lauro de Freitas. Os demais já transitaram em julgado. Somente com o município de Paulo Afonso, durante a gestão do prefeito Raimundo Caires Rocha (PSB), o Instituto Brasil assinou um Termo de Parceria no valor de R$15.162.297,32 para “ações nas áreas de Saúde e Educação” nos exercícios de 2006 e 2007.
Auditoria realizada por técnicos do TCM, no entanto, chegou à conclusão que o objetivo era mesmo a terceirização de mão de obra, de modo a burlar a exigência de concurso público. E, mesmo, assim a prefeitura só conseguiu prestar contas de apenas R$8.934.448,95 do total repassado à OCIP. Por isso, por sugestão do conselheiro relator, Paolo Marconi, os demais conselheiros do TCM, no julgamento, exigiram do ex-prefeito Raimundo Caires Rocha o ressarcimento aos cofres municipais um total de R$6.227.848,37, aplicaram-lhe uma multa de R$32.152,00 e determinaram que fosse feita representação ao Ministério Público Estadual para apuração de possível crime de improbidade administrativa. O ex-prefeito de Camaçari, Luiz Caetano (PT), que assinou convênios com o Instituto Brasil ao longo dos anos de 2005 a 2007, em julgamento no TCM, em agosto de 2012, foi multado em R$ 15 mil e instado a devolver ao erário R$737.455,19 por pagamento indevido por serviços não prestados e não prestação de contas de pagamentos efetuados à OSCIP. Além disso, foi denunciado ao Ministério Público Estadual para investigação de possível crimes contra a administração pública. No caso de Camaçari, o Instituto Brasil foi contratado para “elaboração de projetos arquitetônicos de escolas”.
Do município de Madre de Deus o Instituto Brasil recebeu, por conta de convênio assinado em setembro de 2006 um total de R$1.056.000,00. A prefeita à época era Eranita de Brito Oliveira (PMDB), que, segundo apurou os técnicos do TCM, utilizou parte dos recursos para a contratação de agentes de trânsito e recadastradores imobiliários, burlando a legislação que exige a realização de concurso público. O convênio, formalmente, neste caso seria para a realização de “ações transformadoras sócio-sanitárias e culturais” e para o “fomento da economia solidária, a educação, a saúde e o desenvolvimento da assistência social e preservação do meio ambiente. No julgamento, o TCM determinou que a ex-prefeita devolvesse aos cofres públicos R$960 mil, aplicou uma multa de R$30.852,00 e formou representação contra ela no Ministério Público.
Informações do Politica Livre
Mãe brasileira de radical islâmico promete ir atrás de filho na Síria
Mãe brasileira de radical islâmico promete ir atrás de filho na Síria
Foto: Reprodução
A brasileira Rosana Rodrigues, mãe do belga Brian, prometeu ir para a Síria atrás do filho que aderiu ao radicalismo islâmico. “Eu vou ver meu filho. Buscar eu não sei, mas que eu vou, eu vou”, afirmou Rosana, em entrevista ao Fantástico, da TV Globo. O grupo extremista do qual Brian participa grava vídeos com decapitações de prisioneiros e ameaça destruir todos que discordam dele. Ela conta que o jovem era católico, esportista e alegre até sair de casa em 2012. “Um dia ele foi. Um dia eu fui no quarto dele e ele já não estava mais lá. Ele só se despediu da minha filha mais nova. Deu um beijo no rosto dela e falou que essa era a última vez que ela ia ver ele”, disse. Brian, de 21 anos, adotou o nome de Abu Qassem Brazili ao se juntar ao Estado Islâmico (EI). “Que meu filho não chegue ao ponto de decepar a cabeça de alguém ou de matar alguém. E no fundo do meu coração, eu sinto que meu filho jamais faria isso. Eu amo muito ele, mas eu jamais seria capaz de perdoar meu filho se ele fizesse uma coisa dessas”, lamenta. O Estado Islâmico se tornou mais conhecido depois dos vídeos em que dois jornalistas americanos foram decapitados por um extremista. Mais de dois mil ocidentais se juntaram ao grupo e 300 saíram da Bélgica.
Bahia tem 200 casos suspeitos de Chikungunya
chikunguya_arte_01

Cinco casos de febre Chikungunya foram confirmados em Feira de Santana e fizeram a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab) colocar a Bahia em alerta para um surto. A Chikungunya tem sintomas parecidos com os da dengue (febre, dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo) e é transmitida pelo mesmo mosquito, o Aedes Aegypti, além do Aedes Albopictus.
Uma diferença normalmente observada é que, em vez de dor muscular, como ocorre em pacientes com dengue, a pessoa infectada pelo vírus CHIKV (Chinkungunya) sente mais frequentemente dores nas articulações, além de inchaços no corpo. Essas dores articulares podem durar meses — não à toa, o nome da doença significa “andar curvado”, no idioma kamakonde, falado por tribos da Tanzânia, onde ocorreu o primeiro surto, em 1952.
Ainda não existe tratamento específico nem vacina disponível. “Por ser um vírus novo, a população está susceptível porque ainda não tem imunidade. A pessoa que tem (a doença) só terá uma vez, ao contrário da dengue, que pode ter quatro vezes, porque são quatro vírus diferentes”, explicou Alcina Andrade, superintendente de Vigilância e Proteção da Saúde da Sesab.
Surto
Segundo a Sesab, a Bahia tem hoje 200 casos suspeitos, registrados em Feira e Salvador. Os cinco confirmados são de 16 pacientes que tiveram amostras de sangue colhidas em Feira de Santana há 15 dias. Em Salvador, foram colhidas quatro amostras de casos suspeitos.
Dois foram descartados, um foi considerado inconclusivo, e vai passar por novos exames, e a quarta amostra foi coletada na quinta-feira e ainda será submetida a análise. As amostras são encaminhadas para análise no Instituto Evandro Chagas, no Pará, referência no país, conforme determinação do Ministério da Saúde.
“Nosso foco de trabalho é em Feira de Santana, mas o alerta é para todo o estado. Já foi lançado o alerta para as 417 secretaria municipais”, declarou, ontem, o secretário da Saúde do Estado, Washington Couto.
As suspeitas de Salvador foram registradas no Cabula e Cidade Jardim. Em Feira, foram no bairro Jorge Américo e no distrito de Jaguara.
Tratamento
Segundo Alcina Andrade, a Bahia tem hoje um surto da doença, mas não há motivo para pânico. “A Chinkungunya raramente leva o paciente à morte. A taxa de mortalidade é baixíssima”, declarou Alcina.
A infectologista Ana Veronica Mascarenhas Batista, diretora médica do Hospital Couto Maia e professora da Escola Bahiana de Medicina, reforçou que o CHIKV não tem uma caraterística acentuada a letalidade. “Geralmente, os casos não evoluem para gravidade, mas 80% das pessoas que adquirem o vírus vão adoecer. A gente vai ter uma demanda grande nos serviços de saúde em geral, principalmente nas emergências, caso a infecção se espalhe”, disse Batista.
Assim como a maioria das viroses, a Chinkungunya não tem um tratamento específico para o vírus.
“O tratamento é todo sintomático, tratamento de suporte. Então, o manejo do paciente é todo simples, com antitérmico, para o alívio das dores. Vacina não existe em lugar algum. O tratamento pode ser feito em qualquer unidade de saúde, são pacientes que não vão demandar internação, porque a doença evolui para cura espontânea”, declarou Alcina Andrade, superintendente de Vigilância e Proteção da Saúde da Sesab.
Origens
A doença tem origem africana, tendo registrados surtos no Congo, em 1999-2000, e no Gabão, em 2007. Em 2005, a Índia e o Sudeste Asiático registraram mais de 1,9 milhão de casos.
O Brasil registrou 37 casos em 2010, mas todos eles importados – quando o paciente adquire a doença em viagens para fora do país. “Estamos monitorando o vírus há dois anos. O Ministério da Saúde lançou um plano de contingência e a Bahia é um dos estados que tem que fazer uma busca ativa, pois o vírus entraria no território brasileiro a qualquer momento”.
E entrou. No ano passado, um surto avançou por diversos países da América Central e, na última terça-feira, o Brasil registrou os dois primeiros casos autóctones (quando o paciente não tem registro de viagens, o que prova que a doença foi contraída no país), no Oiapoque (AP). São pai e filha.

iBahia.com

Marina diz que não cairá em tentação de revidar ataques

Foto: Reprodução

Em visita a Manaus neste domingo, a candidata à presidência Marina Silva (PSB) reiterou que está sendo agredida pelos principais adversários nas eleições e disse que não vai “cair em tentação” para responder à presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) e ao candidato Aécio Neves (PSDB). A declaração ocorreu em evento junto a ambientalistas, em um museu na capital amazonense. “Eu tenho sido muito agredida, vocês acompanham, de que vai acabar o ‘Minha Casa, Minha Vida’, o ‘Bolsa Família’, o ‘Mais Médicos’, a exploração do pré-sal, a Transnordestina, a transposição do Rio São Francisco… Acabar com as férias, acabar com o FGTS (as pessoas no espaço riram nesse momento), o décimo terceiro salário… Vocês até riem, porque isso é subestimar a inteligência da sociedade. É o que eu chamo de marketing selvagem”, criticou Marina. A candidata ressaltou que pretende aliar projetos bem-sucedidos do governo Lula e do governo Fernando Henrique Cardoso. “A instabilidade econômica do governo do Fernando Henrique, nós vamos recuperar, está sendo perdida no atual governo. A inclusão social, que iniciou no governo do presidente Lula, nós vamos manter e aperfeiçoar, que está sendo agora ameaçada no governo da presidente Dilma, pela volta da inflação, elevação dos juros, baixo crescimento”, criticou. Questionada sobre se o PSB ou a REDE assumiriam o comando do governo caso eleita, Marina Silva apenas criticou o modelo do atual governo. “Quem vai assumir o governo é a presidente eleita por uma aliança de alguns partidos e, principalmente, numa aliança com os núcleos vivos da sociedade, que está dando uma demonstração de que, para ganhar uma eleição, não são necessárias velhas estruturas do dinheiro, da troca de ministérios por tempo de televisão, de fazer alianças completamente incoerentes, mas sim uma nova postura”, declarou.
Agência Estado

Dilma diz que não usa tática do medo contra Marina

Foto: Divulgação

Marina e Dilma
A presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff, rechaçou nesta segunda-feira durante entrevista ao Bom Dia Brasil, da TV Globo, que está usando a tática do medo ao fazer críticas a sua adversária Marina Silva e exibir em seus programas eleitorais peças que mostram, por exemplo, pessoas ficando sem comida como consequência de algumas medidas propostas por Marina. “Tudo que eu falo sobre a candidata Marina está no programa dela”, afirmou. Dilma voltou a criticar a proposta de independência do Banco Central e afirmou que a redução do papel dos bancos públicos vai reduzir o financiamento de obras de infraestrutura e programas sociais, como o Minha Casa, Minha Vida. “O governo coloca subsídio entre 90% e 95% (no Minha Casa, Minha Vida). Passa isso para banco privado e nunca esse País vai ver uma casa para os mais pobres”, afirmou. Segundo a presidente, não basta dizer que quer reduzir o papel dos bancos públicos, “tem que explicar para quanto quer reduzir”. “Ela tem um alinhamento claro, ela tem uma posição favorável aos bancos, eu não tenho”, afirmou, ponderando que os bancos “são importantíssimos”. Questionada sobre a posição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que criticou as propagandas eleitorais da petista, a presidente afirmou que “tem que ser julgada pelo TSE e não pelo procurador”. “Ele pode ter a opinião dele, mas o tribunal vai ter que dar opinião”, disse. A presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff, rechaçou nesta segunda-feira durante entrevista ao Bom Dia Brasil, da TV Globo, que está usando a tática do medo ao fazer críticas a sua adversária Marina Silva e exibir em seus programas eleitorais peças que mostram, por exemplo, pessoas ficando sem comida como consequência de algumas medidas propostas por Marina. “Tudo que eu falo sobre a candidata Marina está no programa dela”, afirmou. Dilma voltou a criticar a proposta de independência do Banco Central e afirmou que a redução do papel dos bancos públicos vai reduzir o financiamento de obras de infraestrutura e programas sociais, como o Minha Casa, Minha Vida. “O governo coloca subsídio entre 90% e 95% (no Minha Casa, Minha Vida). Passa isso para banco privado e nunca esse País vai ver uma casa para os mais pobres”, afirmou. Segundo a presidente, não basta dizer que quer reduzir o papel dos bancos públicos, “tem que explicar para quanto quer reduzir”. “Ela tem um alinhamento claro, ela tem uma posição favorável aos bancos, eu não tenho”, afirmou, ponderando que os bancos “são importantíssimos”. Questionada sobre a posição do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que criticou as propagandas eleitorais da petista, a presidente afirmou que “tem que ser julgada pelo TSE e não pelo procurador”. “Ele pode ter a opinião dele, mas o tribunal vai ter que dar opinião”, disse.
Carla Araújo, Agência Estado
Ilhobim: Capotamento na BA-632 deixa dois mortos e cinco feridos
Capotamento na BA-632 deixa dois mortos e cinco feridos
Foto: Alessandro Ramos | Blog do Anderson
Um capotamento na BA-632 deixou duas pessoas mortas e cinco feridas, na noite deste domingo (21), entre o distrito conquistense de Ilhobim e o município de Encruzilhada. Segundo a Companhia Independente de Polícia Rodoviária, os corpos das vítimas foram levados ao IML e os feridos ao Hospital Geral de Vitória da Conquista. A placa de veículo é da cidade de Cachoeira de Pajeú, norte de Minas Gerais.

Marina defende benefícios para mobilidade ciclística

Foto: Reprodução

No Dia Mundial sem Carro, celebrado nesta segunda-feira, a candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, assinou, em Brasília, uma carta-compromisso com a mobilidade ciclística. Marina chegou ao evento com ciclistas do Distrito Federal de táxi porque não sabe andar de bicicleta. Em um breve discurso, a candidata defendeu a redução dos impostos para a produção de bicicleta e lembrou que hoje o setor paga 35% de tributos. A candidata disse que seu programa de governo prioriza o transporte alternativo e se comprometeu com a construção de mil quilômetros de vias para veículo leve sobre trilhos (VLT) e 150 quilômetros de faixas para ônibus de rápido deslocamento. A candidata se colocou contra o atual modelo de transporte público implantado pelo governo federal, os conhecidos BRTs. “Nosso programa prevê a priorização dos meios alternativos para o transporte”, disse Marina, defendendo o compartilhamento das vias públicas com as bicicletas. Marina também defendeu a construção de ciclofaixas nas cidades. “A bicicleta é fundamental para a humanização das cidades”, afirmou.
Daiene Cardoso e João Domingos, Agência Estado

Caso Petrobras

Apuração na Petrobras não compromete produção, diz Dilma

Foto: Wilton Júnior / Estadão

Presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff
A presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff, afirmou nesta segunda-feira que a Petrobras “já se recuperou e bateu todos os recordes de produção”. Em entrevista ao Bom Dia Brasil, da TV Globo, a presidente destacou que a própria agência internacional de energia reconheceu esse dado. Ela garantiu ainda que as investigações envolvendo membros da empresa em um suposto esquema de corrupção na estatal não comprometem a produção de petróleo nem o pré-sal. “Esse será um imenso fator de crescimento para o Brasil. A produção de petróleo é fundamental para o País”, disse. “Toda essa investigação não compromete o ritmo de desenvolvimento (da empresa).” Segundo Dilma, não há dúvidas de que em breve o País passará a ser exportador de petróleo. Ela afirmou que, apesar de a Petrobras ter sido a maior responsável pelo déficit brasileiro nos últimos anos, o cenário está controlado. “A dívida está controlada. Não temos flancos externos”, afirmou. Dilma voltou a citar a crise internacional para justificar o baixo crescimento do País e alguns problemas na economia, como a inflação beirando o teto da meta. Segundo ela, a independência do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano), por exemplo, está baseada no máximo emprego, estabilidade no curto prazo e juros moderados no longo prazo. “Aqui é considerado de extrema heterodoxia. Aqui (o BC) persegue apenas a inflação”, afirmou. Depois de uma intervenção dos jornalistas, dizendo que a meta da inflação não está conseguindo ser alcançada, a presidente afirmou que “hoje no mundo ninguém está conseguindo” alcançar todas as metas. “Estamos numa situação em que o Brasil está na defensiva em relação à crise”, disse. Segundo ela, essa postura é proteger emprego, salário e investimento. “Eu comprometo emprego e salário se eu não mantiver investimentos”, disse. A presidente afirmou apostar em uma retomada da economia mundial e disse que ela depende em boa parte da evolução da economia norte-americana. “Os EUA evoluindo bem, o Brasil pode entrar numa outra fase, precisa de menos estímulos”, disse. Ela acredita que com isso é possível “ficar mais entregue à dinâmica natural e a economia pode passar para uma retomada”, completou.
Carla Araújo, Agência Estado
Motorista morre em colisão entre dois caminhões em Feira de Santana
Motorista morre em colisão entre dois caminhões em Feira de Santana
Fotos: Blog do Marcos Frahm
Após o caminhão-baú que conduzia colidir contra outro caminhão na BR-116 Sul, próximo a Feira de Santana, um motorista ficou preso nas ferragens e morreu carbonizado na tarde deste domingo (21). O acidente aconteceu por volta das 15h. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), a batida ocorreu próximo ao posto do órgão. O nome da vítima fatal ainda não foi divulgado. Ainda não foi confirmada se a colisão deixou outros mortos. Ainda de acordo com a PRF, o caminhão-baú foi atingido frontalmente pelo outro veiculo, que estava carregado com batatas. A pista ainda está bloqueada para a retiradas das vítimas. Com informações do portal G1 Bahia e Blog do Marcos Frahm.

Conquista: Homem morre em acidente na BR-116

Foto:  Blog do Anderson
Foto: Blog do Anderson

Uma colisão entre uma carreta e um automóvel, na BR-116, em Vitória da Conquista, deixou uma pessoa morta na noite deste domingo (21). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) o acidente foi no quilômetro 807, trecho entre o Posto São Jorge e Lagoa das Flores. O corpo do homem conquistense morador do distrito de José Gonçalves [Guigó]  encontra-se no Instituto Médico Legal (IML) onde passa por necropsia. A PRF e a ViaBahia controlaram o trânsito na localidade.

domingo, 21 de setembro de 2014

Caravana de Cândido Sales presente no comício de Rui Costa em Vitória da Conquista
por Dárcio Alves

O  governador Jaques Wagner entre o prefeito Helinho e 1ª dama Laine Lima


O deputado Waldenor  junto com Helinho e Laine


Helinho,Rui e Laine





Rui Costa

Rui promete construção de duas barragens em Vitória da Conquista

Foto: Divulgação
O candidato ao governo do Estado pela coligação “Pra Bahia Mudar mais”, Rui Costa (PT), prometeu construir duas barragens em Vitória da Conquista, nos rios Catolé e Pardo. “Com isto não haverá mais sobressaltos no abastecimento de água potável”, disse. Os itens já constam em seu programa de governo. Em ato de campanha realizado na cidade, Rui mencionou também a ideia de implantar o programa Saúde para Todos no município, ampliar o Hospital Regional de Conquista e outros localizados em sua área de influência. “Assim, os filhos desta terra não mais precisarão se deslocar para Salvador ou outros centros em busca de atendimento especializado”, afirmou. Estiveram no comício o governador Jaques Wagner, a ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Ideli Salvati, o candidato a senador Otto Alencar (PSD) e o prefeito de Vitória da Conquista, Guilherme Menezes (PT). Em sua fala, a ministra destacou as realizações da gestão da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição, e pediu votos para Otto. “A Bahia não vai mandar gente pro Senado quem ficou até a última hora no governo e depois cuspiu no prato que comeu. A Bahia só tem um caminho: é pra frente, é pra frente e é pra frente! Com Dilma, Rui e Otto”, afirmou. Já Wagner fez críticas ao postulante ao governo Paulo Souto (DEM). “Quem não fez quando podia, não vai fazer quando puder”, apontou e acrescentou, em menção ao apoio do prefeito de Salvador, ACM Neto. “Eu já vi governador comandar prefeito, mas prefeito comandar governador, nunca”, alfinetou.

Paulo Souto

Bahia vai ganhar novas UPAs e todas vão funcionar, diz Souto

Paulo Souto visitou Guanambi neste sábado
“As obras públicas só são boas quando servem à sociedade. Pra que serve uma UPA pronta que não atende ninguém?”, questionou o candidato a governador, Paulo Souto, diante das queixas de que a Unidade de Pronto Atendimento de Guanambi, construída pelo atual governo, não funciona, durante comício ontem na cidade. “Essa é uma característica da gestão petista, quando tiram do papel, eles não botam para funcionar. Tem sido assim com UPAs em Salvador, Vitória da Conquista e toda a Bahia. Eles só se preocupam em fazer propaganda. Vamos construir mais UPAs e todas elas, inclusive as que estão paradas, vão estar a serviço da população”, afirmou Souto. Na manhã deste domingo, ao lado dos companheiros de chapa Joaci Góes (vice) e Geddel Vieira Lima (senador), Paulo Souto foi recebido pela população de Coronel João, sob a liderança do prefeito Romualdo Costa (PSD). À tarde, a carreata vai a Alagoinhas, Cipó, encerrando com comício em Ribeira do Pombal, à noite. Em Guanambi, na companhia também do prefeito de Feira, José Ronaldo, e do ex-governador Nilo Colho, Paulo Souto reafirmou o seu compromisso com a recuperação e melhoria dos serviços públicos essenciais à vida dos baianos. O candidato a governador garantiu que, se eleito, vai ampliar o hospital de Guanambi. “Este hospital, que teve as obras iniciadas pelo ex-governador Nilo Coelho e concluído por mim, há algum tempo precisa de ampliação física e de serviços para atender melhor o povo da região. Vamos ampliá-lo, com a ajuda de Geddel, que vai lutar, como senador, por recursos para a Bahia em Brasília”. Paulo Souto assinalou a sua determinação de fazer todos os esforços para elevar a qualidade dos serviços de saúde, segurança e educação. “São setores que não podem mais esperar porque estão intimamente ligados à vida das pessoas. Por isso, vamos priorizar o atendimento digno na saúde, construindo novos hospitais e resolvendo o problema da central de regulação, assim como tomar medidas enérgicas para devolver a tranquilidade e segurança, e elevar a qualidade da educação, que é o futuro de nossa juventude”, garantiu Paulo Souto.

Lídice: Não podemos aceitar os ataques a Marina por sua fé

Foto: Divulgação

Lídice da Mata e Marina Silva
A candidata à Presidência da República Marina Silva, do PSB, teve um encontro com lideranças do movimento negro em Salvador e participou de um comício no bairro de Cajazeiras, na noite deste sábado (20), ao lado da candidata do partido a governadora da Bahia, Lídice da Mata. Nos dois eventos, Marina condenou a intolerância religiosa e o preconceito racial. “O respeito à diversidade religiosa é um compromisso de vida. A grande contribuição para a construção de um estado laico foi dada pelo movimento protestante. Porque antes havia uma religião oficial. E isso foi muito bom para todo mundo, tanto para os que creem como para os que não creem”, afirmou. Marina destacou que, em sua carreira política, nunca se utilizou da fé para pedir votos, nem deixou de apoiar, por motivos religiosos, candidatos em quem acreditava. Ela disse que já votou até mesmo em pessoas que não tinham nenhuma fé, mas que eram mais honestas que muitas outras que ficavam por aí arrotando sua fé. “Não preciso negar a minha fé para ser presidente da República. Se eu negar a minha fé para ser presidente, como vocês vão acreditar que vou defender a sua fé?”, observou, após se manifestar contra qualquer tipo de preconceito, inclusive o religioso. Lídice da Mata, por sua vez, reiterou a necessidade da manutenção do estado laico e defendeu a realização de campanhas educativas nas escolas públicas para combater a intolerância religiosa. Ela rebateu os ataques que Marina, que é evangélica, vem recebendo durante a campanha eleitoral devido a sua religião, inclusive de setores do PT, partido da qual a candidata a presidente foi fundadora. “Tem muitos companheiros do PT que são evangélicos, mas aí não tem problema nenhum. Se estamos falando de intolerância religiosa não podemos aceitar os ataques a Marina por sua fé”, disse.

 PT e PSDB apostam na TV e Web

A menos de 20 dias do primeiro turno das eleições presidenciais e com um cenário de volatilidade nas pesquisas de intenção de voto, as campanhas dos candidatos do PT, Dilma Rousseff, e do PSDB, Aécio Neves, decidiram apostar na divulgação de seus programas de governo em “doses homeopáticas”, nos programas do horário eleitoral gratuito, principalmente na TV, e na internet. A perspectiva é que, dependendo da dinâmica dos próximos dias, o anúncio dos programas pode não ocorrer antes do primeiro turno. A justificativa dos adversários do PT e do PSDB é a mesma: o receio de que a divulgação formal do programa de governo, como fez a candidata do PSB, Marina Silva, possa abrir um flanco para ataques que poderiam prejudicar as duas candidaturas neste momento decisivo da corrida ao Palácio do Planalto. Por isso, a alternativa de apresentar as propostas na TV e nas plataformas web. A tática já foi colocada em prática por petistas e tucanos. Nesta semana, por exemplo, uma das inserções de Dilma no horário eleitoral de televisão foi praticamente toda reservada para as propostas para diminuir os custos das pequenas e microempresas e para reduzir a burocracia. Aécio Neves também segue na mesma linha e já apresentou, por exemplo, medidas como a diminuição da maioridade penal e a criação do Ministério da Segurança Pública. O comitê pela reeleição da Dilma tem o diagnóstico de que a candidatura de Marina Silva começou a sofrer um processo de “desconstrução” depois da divulgação de um programa de governo considerado falho. Um dia depois de lançar seu plano, Marina recuou na defesa de bandeiras da causa dos homossexuais que constavam na primeira versão do texto e, desde então, tem sido atacada por trechos do documento que sugerem menos protagonismo para os bancos públicos e, de acordo com o PT, relegam o pré-sal ao segundo plano.
Elizabeth Lopes e Vera Rosa, Agência Estado
Avião de candidata ao governo do MS é roubado; piloto e co-piloto são sequestrados
Foto: Rene Dioz/G1
A aeronave King Air, prefixo ATY, usada pela candidata ao governo de Mato Grosso do Sul, Janete Riva (PSD), desapareceu na tarde deste sábado do aeroporto municipal de Pontes e Lacerda, município localizado na fronteira com a Bolívia. Segundo informações do jornal O Estado de São Paulo, a Polícia Civil apura se o avião pode ter sido levado por traficantes para o território boliviano. O piloto e o co-piloto  estavam no King Air durante o ocorrido. Janete não usava a aeronave no momento do roubo – ela havia chegado às 12h na cidade para um evento de campanha. Às 13h, a polícia informou o fato à candidata. Não há testemunhas do caso. “Temos contato direto com a polícia boliviana e enviamos uma equipe para lá. Esperamos o retorno dessa equipe com mais informações”, disse o delegado regional de Pontes e Lacerda, José Emílio Gadioli, que comanda as investigações.  Ainda segundo a polícia, o combustível do avião permite que ele alcance a cidade de Santa Cruz de La Sierra, onde há um posto de abastecimento.
Aliados admitem que Aécio não atingirá votação prevista

Aliados admitem que Aécio não atingirá votação prevista
Foto: Reprodução
Sem liderar as pesquisas em seu Estado natal, o candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves, refaz as contas para chegar no segundo turno. Aliados mineiros do senador ouvidos pelo Broadcast Político, servilo em tempo real da Agência Estado, como o presidente do PSDB mineiro, Marcus Pestana, admitem que não será possível atingir a votação prevista anteriormente para o Estado. A intenção sempre foi abrir grande vantagem sobre Dilma Rousseff em Minas - segundo maior colégio eleitoral do País e governado pelo PSDB há 12 anos - para garantir as chances na votação nacional. "Não é possível, mudou o cenário, é outra eleição. A previsão era com o Eduardo (Campos) na disputa, ele teria em Minas o que o Aécio tem em Pernambuco (3%)", justifica Pestana, que lembra que Marina venceu em Belo Horizonte nas eleições de 2010. Mesmo com a recuperação nas últimas pesquisas, os números ainda são modestos se comparados com os planos feitos pelos tucanos. A última pesquisa Datafolha no Estado mostra Aécio com 26%, enquanto Marina Silva tem 25% e Dilma 33%. O Ibope desta semana mostra um quadro um pouco melhor para o ex-governador de Minas, que aparece com 29%, atrás apenas de Dilma (33%); Marina tem 22%. No primeiro semestre de 2014, era comum ouvir de tucanos mineiros que o Estado - principal vitrine de Aécio e que foi governado pelo PSDB por 16 anos nas últimas duas décadas anos - era o trunfo para a vitória do neto de Tancredo. Projetava-se uma diferença de 3 milhões de votos para Dilma Rousseff, que significa cerca de 20% dos mais de 15 milhões de eleitores. "Além do discurso, Minas é o segundo maior colégio eleitoral no País. Qualquer ponto em Minas faz uma diferença grande. Tem um efeito simbólico muito grande para ele, ficar nesta posição que está em Minas inviabiliza a eleição dele no País", analisa o cientista político e professor da Fundação Getúlio Vargas Marco Antônio Carvalho Teixeira. Mais que governar, Aécio venceu em Minas três eleições de forma arrebatadora. Duas vitórias no primeiro turno para o governo do Estado - com 57% e 77% dos votos - e uma eleição para o Senado, quando Aécio teve 7,5 milhões de votos e ele elegeu também seu aliado Itamar Franco, deixando o petista Fernando Pimentel fora da disputa. "Ele superestimou a capacidade dele em Minas, subestimou a capacidade do próprio governo e não olhou adequadamente para 2012. A eleição de 2012 já mostrava sinais de desgaste, o PSDB perdeu prefeituras importantes no Estado", explica o cientista político. A esperança do PSDB no Estado é que a reação esboçada por Aécio nas últimas pesquisas em território nacional traga de volta para o tucano, oposição mais tradicional ao PT, os eleitores que migraram para Marina Silva no chamado voto útil. "Há um sentimento majoritário em Minas contra o PT. Quando a Marina despontou em segundo lugar, as pessoas migraram", afirma Pestana, que tem a esperança de que uma reação de Aécio traga de volta para o tucano, oposição mais tradicional ao PT, os que migraram para Marina no chamado voto útil.

por José Roberto Castro/ BN
Vitória da Conquista: A Coligação “Pra Bahia Mudar Mais” do PT realiza comício







A Coligação “Pra Bahia Mudar Mais” realizou na noite deste sábado 20/09 (sábado) comício na praça Barão do Rio Branco em Vitória da Conquista com as presenças do candidato ao Governo da Bahia, Rui Costa, acompanhado do Governador Jaques Wagner,do candidato ao Senado, Otto Alencar,da Ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Ideli Salvatti e do prefeito da cidade Guilherme Menezes. 

Segundo informações mais de  5 mil pessoas estiveram presentes para assistir ao comício














Participaram do evento,vereadores,candidatos a deputado estadual e federal,lideranças locais e regionais e prefeitos de cidades vizinhas, a cidade de Cândido Sales foi representada pelo prefeito Hélio Fortunato e pela 1ª dama Arlaine Lima que foram levar o seu apoio.













Marina condena intolerância religiosa e preconceito racial em visita a Salvador
Marina condena intolerância religiosa e preconceito racial em visita a Salvador
Foto: Divulgação
A candidata à Presidência da República Marina Silva, do PSB, durante passagem por Salvador neste sábado (20) condenou a intolerância religiosa e o preconceito racial. Marina se reuniu com lideranças do movimento negro na capital baiana e participou de um comício no bairro de Cajazeiras, durante a noite. Ela estava acompanhada pela candidata do PSB a governadora da Bahia, Lídice da Mata. Segundo Marina, em sua carreira política, ela nunca utilizou a fé para pedir votos, nem deixou de apoiar, por motivos religiosos, candidatos em quem acreditava. “Não preciso negar a minha fé para ser presidente da República. Se eu negar a minha fé para ser presidente, como vocês vão acreditar que vou defender a sua fé?”, disse. Lídice da Mata, por sua vez, reiterou a necessidade da manutenção do estado laico e defendeu a realização de campanhas educativas nas escolas públicas para combater a intolerância religiosa. 

Coluna A Tarde: Guerra no segundo turno

Foto: Reprodução

Com 37 pontos no Datafolha liberado na madrugada da sexta feira última contra 30 de Marina e 17 de Aécio Neves, ficou mais difícil para a candidata do PSB mudar o cenário nestes últimos dias de campanha em primeiro turno, embora nada seja impossível. Já Aécio terá que contar com a sorte e com um trabalho de campanha extenuante para ultrapassar Marina e chegar ao segundo turno – o que parece dificílimo e sem precedentes. Como esperado, será nesta segunda etapa que a presidência será decidida. Por ora, Marina está à frente de Dilma, mas em empate técnico, com dois pontos percentuais à frente.
   
A presidente colheu os frutos de uma campanha semelhante à utilizada por Collor contra Lula, lá nos idos de 1989, plantando mentiras e descendo o nível para um patamar que não se esperava que houvesse retorno, desta vez praticada pelo PT, o que absolve Fernando Collor. A presidente passou a tratar a política como de fato ela é: velhaca. Pelo menos é um reconhecimento, já sabido, em relação ao exercício político no Brasil, marcado basicamente pela corrupção.

É difícil, mas quase impossível, que a oponente de Dilma tire a vantagem que ela estabeleceu, de sete pontos percentuais, como também o é em relação a Neves, que está a 13 pontos distanciado de Marina. Existem probabilidades, sim, como tem acontecido em outros pleitos quando a definição do eleito se revela nos últimos dias antes das eleições. Mas não em primeiro turno, a não ser quando exista uma grande distância dos dois candidatos que se põem à frente e os demais. Nesta eleição, o(a) presidente somente será conhecido no segundo turno, quando a realidade pode mudar, em razão de diversos aspectos.

O primeiro deles é que o confronto será entre dois adversários, que terão tempos iguais para se manifestar na televisão, quebrando o diferencial que ora se observa entre Dilma e Marina, a primeira com 11 minutos e, a segunda, com dois, apenas. Isso deu margem a Rousseff  utilizar o recurso do ataque, dificultando a defesa de Marina Silva. Na segunda etapa, ambas com 10 minutos, estabelecem-se o equilíbrio; os candidatos se igualam no tempo o que facilita, ainda, os debates nas emissoras de tevê, criando um clima de emoção. Estarão frente a frente, com maiores possibilidades de explanar o que pretendem fazer se eleita e até se engalfinharem nos momentos mais nervosos e provocativos.

Ademais, surge outra questão de peso: os candidatos do primeiro turno que não ultrapassarem para o segundo terão que orientar seus votos, seus eleitores, para um dos candidatos, realizando um pacto de apoio. No caso específico de um segundo turno entre Dilma e Marina, à primeira vista a socialista ficará em vantagem que já aparece no Datafolha, com dois pontos à frente, o que, por ser insignificante, denota um empate técnico.

No caso específico, há um conflito tradicional entre o PT e o PSDB, o que leva a crer que Aécio Neves tenderá, se ele ficar no caminho, transferir os seus votos para Marina Silva e não para Rousseff. Trata-se de uma suposição a partir do histórico entre os dois partidos, adversários por excelência, cuja decisão não dependerá exclusivamente de Aécio, mas da direção do partido tucano.

Numa campanha como a de agora, onde há três candidatos de destaque e os demais ficam na parte de baixo, integrantes de partidos pequenos, portanto sem possibilidade de exercer transferência de votos, valerão as legendas que ficarem na ponta, transferindo-se ao PSDB a condição de auxiliar de uma candidatura.

Por último, outro fator de peso: as denúncias que vazam a partir do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa. Ainda no fim de semana ele trouxe ao público outra bomba, que atinge os governos Lula e Dilma, a presidente também na condição de presidente do conselho da estatal. Disse ele que na negociação de compra da refinaria de Pasadena, no Texas, houve distribuição de propinas entre os diretores. Como se fosse uma espécie de quebra do pote da antiga brincadeira infantil da cabra-cega.

O próprio Paulo Roberto disse que recebeu propina de R$ 1,5 milhão. Outros nomes não vieram a público, mas é certo que houve denúncias de diretores e outros personagens na corrupção da compra da refinaria. Até o final do segundo turno, novas denúncias podem chegar à superfície o que, fatalmente, causará impacto no segundo turno. Como sempre ocorre.

por Samuel Celestino/Bahia Notícias

* Coluna publicada originalmente na edição deste domingo (21) do jornal A Tarde